sexta-feira, outubro 31, 2003

Obrigado

... ao Passarola pela referência positiva ao nosso blog. Foi pequenina, mas para nós, muito benvinda.
Dupond

Dupla personalidade

Li no Póvoa Semanário (em notícia que não está on-line) que o Eng. Mário Almeida apresentou, no passado Sábado, dois discursos opostos em relação ao Primeiro Ministro.
De manhã, na visita que aquele fez à Infineon, foi todo "sorrisos e pancadinhas nas costas". A esse propósito, basta ver as fotos publicadas no Jornal de Vila do Conde... À noite, num jantar-comício que os socialistas organizaram na sede do Rancho do Monte, depois de um ataque cerrado ao Governo, afirmou algo do género: "Durão Barroso esteve em Vila do Conde reivindicando vitórias em termos de investimento estrangeiro que são propriedade do Governo PS".
Sem cuidar de averiguar da legitimidade da afirmação proferida, considero esta atitude perfeitamente lamentável. Com investidas destas, Mário Almeida revela dupla personalidade, coisa que não abona nada a seu favor. Na verdade, se tinha as reservas que demonstrou. quanto à visita de Durão Barroso, o que foi lá fazer? Colar-se ao Primeiro Ministro para aparecer na fotografia?
Dupond

Aos interessados em enriquecer

Pede-me sua alteza real o favor de divulgar a seguinte mensagem:

From:Prince Michael
Av.Joaquin Vilumbrales,
(Madrid) Spain.
Mobile Phone Number: +34 660801526

Dear Sir,

I am Prince Michael the son of the late Democratic Republic of Congo President Laurent Desire Kabila of the blessed memory.

I know this letter might come to you as a surprise but I honestly do not intend to surprise you. I write this letter in respect of my intention to invest the sum of US$28M(Twenty Eight Million United State Dollars) with you.

I inherited this money from my mother. This money was got through the exporting and sale of Diamond and Timber when my father was the head of state. My mother though not her legal wife used her privilege position to engage in the business of Diamond and Timber since she knows that her survival will depend on how much she can get out of the privilege situation.

When my father was assassinated on 16TH Jan. 01 by one of his bodyguards Lt. Rashidi Kasereke through the conspiracy of some top army officers that wanted to topple him.

I escaped to Madrid, Spain because of the fear that I might be arrested by my half brother Lt. General Joseph Kabila the present head of state.Actually his mother and my mother are not in the best of relationship because of who among them will be the first lady Tussle and this ultimately affected us their children.

My mother advised me to leave For Madrid, Spain where these funds were deposited for safe keeping with a Private Security Company here in Spain.

On getting to Spain where I have been living since then as a political refugee I am seeking for a reliable foreigner who can come down to Madrid,Spain for a meeting and to clear the funds in his name as the solebeneficiary of the Consignment as I was afraid of being defraud.

Honestly I contacted you because I don't want to invest this money in Madrid Spain due to my status here as a political Refugee. And moreover I wouldn't want to take risk because this money is all that my Mother and I are depending on. My stepbrother Joseph, who is now the present leader of my country has seized all my father's assets and money He left us empty handed without knowing about this funds deposited with the Security Company here.

That is why I decided that investing this money abroad should be the best investment for me. I will be honored if I can be given the privilege of investing this money with you.

I expect you to be trustworthy and kind enough to respond to this distress call to save My Mother and I from a hopeless future. And if you agree, I agree to compensate your sincere and candid effort in this regard with 10% of the total amount of $28 million US Dollars.

When the money ($28 million) is moved into your discrete account. You will be allowed to draw 10% in your favor, while the remaining 90% will be invested meaningfully for our future if possible in your area of business and different sectors of the Economy in your country which are dividends yielding.

Whatever your decision is please reach me immediately, and keep this letter tight secret for the interest of my Family.

Best regards,

Prince Michael

Alternate e-mail: michealk@fsmail.net


Confesso que não tenho comissão...
Dupond

É bom...

....contribuir para a divulgação de informação na comunidade bloguística : Mata-Mouros e Bloguítica. É o mínimo, para quem, como nós, sente que recebe tanto e raramente tem oportunidade de retribuir.
Dupont

BB e Halloween

Hoje, pela manhã, durante o habitual zapping radiofónico, captei a informação que as "Brasileiras de Bragança" vão hoje apresentar-se à sociedade local, numa clara tentativa de inserção. Aproveitando a celebração da festa do Halloween, também elas irão, porta a porta, suplicar: "meu bêm, prêndjinhá ô sáfádêza..."
Dupont

Sondagens

No mês em que o Governo perdeu (a conta-gotas) dois Ministros numa crise mal gerida pelo Primeiro Ministro, o partido que o suporta cresce 6% aproximando-se da maioria absoluta.
Se isto é assim, agora, imaginem como será daqui a dois anos, quando os efeitos da recuperação económica e das medidas impopulares, entretanto tomadas, se fizerem sentir.
Dupond

Fukuyama já era....

...por Victor Davis Hanson, no City Journal.
Dupont

Under attack!!!

O Glosas, afinal, é Daniel Brás Marques, o irmão do abaixo-mencionado Pedro. Ou seja, os Dupond(t) Brás Marques atacam 'O Vilacondense'...



Quantos são? Quantos são, hem?

Dupont

Halloween


Dupont

ATENÇÃO BLOGOSFERA!


Já repararam que a Dra. Ana Gomes está há mais de uma semana sem falar publicamente? Apreciar a política nestas condições, dá-me uma sensação idêntica à de ter sido convidado para assisitr a um circo em que não há palhaços.
Triste, não é?
Dupond

quinta-feira, outubro 30, 2003

PSD

De acordo com o Púbico de hoje, o PSD de Vila do Conde está zangado com o Governo. A mesma informação consta também numa notícia do Terras do Ave. Ao que parece, o ex-candidato à Câmara por aquele partido, Santos Cruz, escreveu ao Ministro da Administração Interna, queixando-se do esquecimento do Governo quanto à obra da nova esquadra da PSP.
A notícia é, em si mesma, interessante, já que revela uma coisa nova em Vila do Conde: O PSD local a criticar o Governo da sua cor. Cá para mim, o PSD está apenas a antecipar-se às naturais críticas que Mário Almeida fará quanto a esta questão, evitando assim prejuízos maiores na opinião pública.
Quem se lembra de algumas posições de Mário Almeida durante o consulado de Guterres, parece estar agora a visualizar o mesmo filme, mas ao contrário. Será que estamos a assistir à utilização por parte dos laranjas (não o Carlos, o Jorge e o Zé Manel - o PSD mesmo!) de tácticas à ... Mário Almeida???
E esta hein?
Dupond

Site da Lusa

O Lusa mudou o seu site. Visualmente está mais bem cuidado e moderno. Só tenho pena de termos acesso apenas a uma pequena parte da informação produzida por aquela agência noticiosa.
Que tal formarmos uma associação representativa dos bloggers portugueses, e exigirmos do Governo, o acesso total (e grátis, claro!) às informações da Lusa?
Dupond

Engenharia e Amizades

1 - Pedia ao Lápis de Côr, sem sombra de qualquer ironia, que explicasse ao Mundo como é que se constrói uma "montanha de água salgada".
2 - Pedro Brás Marques é amigo do Vasco Granja. Hum... E do Lápis de Côr. Hum...Hum...
Dupont

Trengos

..é o que o Trenguices tem de aturar. Hilariante.Aqui.
Dupont

João Pereira Coutinho

Finalmente, está online o muito esperado site de João Pereira Coutinho. Brilhante, como o autor, o único capaz de me fazer comprar o 'Indy' todas as sextas-feiras, só para ler a 'Vida de Cão'! Entre o Céu e o Inferno, continua divertido, polémico e incómodo.
Dupont

A agricultura e a literatura

Ao ler a mais recente crónica de Manuel Pereira Maia (já é uma referência...) no Terras do Ave, fui chamado para uma notícia do Jornal de Vila do Conde de 23 de Outubro. Mais concretamente, um texto publicado na página 4, sob o título "Ainda o Monumento ao Agricultor".
A similitude entre os dois textos é evidente. Quer Pereira Maia, quer o JVC baseiam a sua escrita em cartas que terão recebido de agricultores a propósito da inauguração do dito Monumento.
Confesso que a leitura cruzada de ambos os textos é um exercício lúdico de enorme alcance. Aconselho-o a qualquer um.
Por isso, deixo aqui mais uma pista para exploração científica ao Passarola:
- Que tal fazer um estudo sobre a agricultura enquanto semente de literatura?
Dupond

Gémeos falsos ou falsos gémeos?


De Pedro Brás Marques recebemos um email, referindo-se aos ‘comentários’ trocados no post “Gémeos”. Dado o interesse, transcrevemos as partes mais significativas [os links são nossos]:
“(…) Segundo os estudiosos da obra de Hergé, que já se contam às dezenas, os Dupont não são gémeos: não têm nome igual, nem são iguais. O nome já o sabem; quanto às diferenças, elas encontram-se no desenho do bigode, como adiante se explicará.
Foi o próprio Hergé quem assim estabeleceu o par de detectives, logo na sua primeira aparição, no álbum “Os Cigarros do Faraó”, em 1934, ainda no “Le Petit ‘Vingtiéme’”, com os nomes de X33 e X33bis. Repare-se no que diz Benoit Peeters, em “Le Monde D’Hergé” (Casterman, 1983, pag. 96), “Se ressemblant de manière hallucinante (quoique n’étant nullement parents), les deux représentants de la P.J. ne peuvent être distingués que par un seul trait : le style de leur moustache”. Mas, o mesmo autor, na biografia “Hergé-Fils de Tintin” (Flammarion, 2002, pag. 105) admite que o par de detectives possa ser visto como “un echo probable de son pére et de son oncle, les jumeaux inséparables”, mas continua a afirmar que não são gémeos.
No fantástico “Tintin chez Jules Verne” (LeFranq, 1998, pag 43 e ss.) onde se conclui que Hergé terá ido buscar inspiração (demasiada, até, basta ver…[aqui e aqui]) ao visionário romancista francês, escrevem J.P. Tomasi e M. Deligne, que “cês jumeux-lá ne le sont en fait pás du tout”. Para estes autores, Hergé ter-se-á baseado na dupla de detectives Craig e Fry, do livro, de J. Verne, ‘As Atribulações de um chinês na China’. Mas as semelhanças físicas são, claramente, as dos personagens Arminius e Sigimer, de “Cinq Cents Millions de la Bégum”, um com a barba arredondada e outra cortada em triângulo, como se pode ver nas páginas web indicadas.
No site oficial também pode ser encontrada explicação idêntica: “Leur ressemblance est extraordinaire: bien qu'ils ne soient ni jumeaux ni même frères, rien ne les distingue à première vue. Seule la forme de la moustache diffère. Comme l'expliquait Hergé, Dupond avec "d" a les moustaches droites, alors que Dupont avec "t" a les siennes un tantinet tire-bouchonnées”.
Assim, espero ter esclarecido as dúvidas aos Dupont(d).”
Depois de lermos, e relermos, este texto, ficamos perfeitamente siderados. A partir deste momento, a nossa vida fraternal ficou irremediavelmente comprometida, como os leitores poderão ver pela imagem. Já não olhamos um para o outro como irmãos. Vidas desfeitas, foi o que Pedro Brás Marques conseguiu. Porventura, o melhor é convidá-lo para vir para ‘O Vilacondense’, uma vez que parece saber tanto da nossa “família”. Poderia ser, por exemplo… o Milu.
Dupond & Dupont

Agradecimento

Pelas simpáticas palavras de apreço que o glosas nos dirigiu. E como parece que anda confuso, uma vez que não sabe, que sabe, que não sabe, etc., aqui lhe deixamos, a propósito, o "Cântico Negro", de um autor vilacondense, José Régio, que certamente conhecerá.



"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!

Dupont

quarta-feira, outubro 29, 2003

Iain Duncan Smith


Os deputados do Partido Conservador Inglês votam hoje a continuação do Sr. Iain Duncan Smith na sua liderança. De acordo com as regras do jogo, essa continuação está à distância do apoio de 83 dos 165 deputados do partido na Câmara dos Comuns.
Parecendo antever aquilo que o pode esperar, em declarações prestadas hoje, o líder Tory tem-se apresentado à imprensa com um estilo desprendido, com frases do tipo:
"You come in with your character and you leave with your character. You have nothing else". "Money, position, power means nothing. At the end of the day you live with yourself as who you are." Por outro lado, os seus oponentes demonstram uma preocupação baseada (na sua opinião) no tempo que o partido tem desperdiçado no esforço de oposição ao crescentemente contestado governo de Blair, de tão enredado que está nas disputas internas. As palavras de Franscis Maude são exemplares a esse nível:
"My only concern is with the party. I have taken a considered view about what the right thing for the party is. So I don't regard this in terms of success or failure. What will be failure is if at the end of the week there is still uncertainty." Este tipo de situações são recorrentes nos partidos de poder durante os períodos de oposição. Ninguém esquece a contestação que Guterres sofreu internamente até ser Primeiro Ministro, o calvário por que passou Durão Barroso, ou mesmo a falta de confiança que existia em Aznar até ao dia em que ganhou por escassos votos as primeiras eleições.
Neste momento, o PS português vive uma situação idêntica. A diferença é que, ao contrário do que se passa em Inglaterra, as divergências internas não são assumidas. Em lugar de fazer a clarificação necessária, os socialistas vão, de forma calculista, alimentando a podridão interna, não percebendo que cada dia que passa dão mais um passo atrás nas aspirações a chegar de novo ao poder.
Se os socialistas continuarem de braços cruzados e Ferro Rodrigues calado nas reuniões da Comissão Política do PS, o futuro de ambos parece traçado: mais uns belos anos na oposição.
Enquanto isso, Durão vai ganhando tempo para conduzir o paí­s à recuperação económica.
Dupond

Blog poveiro

Chama-se "Trenguices", mas o que lá está escrito é tudo menos isso. Tem um sub-título delicioso, "Impressões de um boticário de província", a evocar Júlio Dinis... É de leitura obrigatória.
Já está linkado, com uma provocaçãozinha, como não podia deixar de ser, por se tratar de matéria referente àquela povoação a Norte de Vila do Conde...
Dupont

Pontes

Hoje, na fila de trânsito, seguia à minha frente uma carrinha funerária da "Casa Pontes". Ouvi, e li, este nome, vezes sem conta, mas nunca lhe tinha prestado verdadeira atenção: mais do que uma simples funerária, uma construtora de "pontes".
Bem sei que se refere ao nome do proprietário. Mas eu não acredito em coincidências.
Dupont

Golaço de Evandro

O golo que o nosso Evandro apontou no passado Domigo (o da tranquilidade) foi eleito pelo "Público" como o golo da jornada. Sem precisar de ter visto todos os golos já apontados a eventualmente a apontar (ainda falta um jogo), julgo que a escolha é acertada. Aquele potente e colocadíssimo remate a 30 metros da baliza é um golaço em qualquer parte do mundo.
Até apetece repetir exaustivamente: Só mais um... Só mais um..."
Dupond

Educação parental


O seu filho é daqueles que diz preto só porque você disse branco? A sua filha gosta de atirar o gelado ao chão só para reclamar outro, aos berros, no meio do café? O seu miúdo ouve 'senta-te' e volta-se para trás com a língua de fora? Pois é, a paciência tem limites, especialmente quando você, dedicado pai ou mãe, chega à conclusão que a fronteira entre irreverência e má-educação deixou de existir e avança para o desejado e relaxante correctivo.
Pois se estiver na Áustria, na Croácia, em Chipre, na Dinamarca, na Finlandia, na Alemanha, em Israel, na Islânida, na Letónia, na Noruega ou na Suécia, pense duas vezes antes de disparar a sua mão à cara do seu filho, a velocidade tal que ele não consiga desviar-se...
É que, estes países, punem o castigo físico de menores com multa ou até com prisão. Não acredita? Então dê um saltinho à TIME e veja como os activistas do bem-estar da criança e uma Comissão da Nações Unidas, com fim semelhante, estão a trabalhar para que esta proibição seja global.
Não sou psicoólogo, nem pedopsiquiatra, mas a minha geração levou tabefes e puxões de orelha do pai e da mãe. Todos nós reconhecíamos autoridade na figura paterna ou materna e ninguém ficou "afectado psicologicamente" com isso...
Enjoa-me esta sociedade que tudo quer regular, que acha que a criança deve ser hiper-protegida, que se preocupa mais em se imiscuir na vida privada das pessoas do que em educr as crianças para se tornarem adultos responsáveis. Porque é isso que temo: uma geração de pessoas que não sabe agir por si e, pior, que não sabe pensar por si.
Dupont

terça-feira, outubro 28, 2003

Gays


Os gays e lésbicas estão indignados. Segundo o 'Público', a razão de tanta indignação prende-se com os termos de um acordão saído do Supremo Tribunal de Justiça. Passo a citar aquele diário: "Na decisão, os conselheiros consideram que os actos homossexuais entre adultos e menores são "objectivamente mais graves" porque "são substancialmente mais traumatizantes por representarem um uso anormal do sexo, condutas altamente desviantes, contrárias à ordem natural da coisas, comprometendo ou podendo comprometer a formação da personalidade e o equilíbrio mental, intelectual e social futuro da vítima".
Percebo porque é que a paróquia gay e lésbica mandou tocar sinos a rebate. É que, finalmente, houve alguém que resolveu acabar com essa palhaçada que é ver estes senhores e senhores proclamarem aos sete ventos que o seu comportamento sexual é normal. O tanas, é que é! O dizer que esse comportamento é normal implicava uma de duas coisas: que eu era anormal, por gostar de mulheres; ou também era gay, porque eramos todos normais.
Estes homens efeminados e mulheres masculinizadas ainda não perceberam que o seu comportamento é desviante, pela simples razão que a sociedade não se rege por tais padrões.
Direito à diferença? Subscrevo inteiramente. Discriminação? Jamais! Todos normais? Nunca!
O acordão do STJ é notável e faz recordar o tempo em que eram os bons-homens quem discutia as questões últimas a resolver. É preciso estar atento - como escreveu o João Pereira Coutinho, "os gays são uma minoria, mas são a maioria no país que conta". Há que os colocar no seu devido lugar.
Dupont

Julgamentos

Começa hoje o julgamento do Sr. Bibi. De acordo com o take da Lusa, ficamos a saber que o colectivo de juizes que irá decidir o futuro do arguido é composto por Paulo Pinto de Albuquerque (presidente), Ricardo Cardoso e João Bartolo (auxiliares).
Confesso que este tipo de informação me irrita solenemente. Aliás, é um tipo de irritação semelhante aquela que me acontece todas as quartas ou quintas feiras, quando leio a notícia da nomeação de árbitros para os jogos de futebol. O conceito que tenho de juiz, de árbitro, ou de qualquer entidade independente que julga, leva-me a tornar a sua indicação como factor de relevância nula. O que interessa são os factos. O que interessa é saber que crimes cometeu o arguido, que prova deles é feita e que tipo de sanção lhe é aplicada. Da mesma forma, o que interessa é saber que táctica apresentam as equipas de futebol, que níveis de técnica detêm os executantes e que eficácia demonstram.
Os juizes, ou os arbitros, não fazem os acontecimentos. Quando as partes pretendem dar-lhes relevância, mais não fazem do que introduzir elementos perturbadores na análise, com o objectivo de expiar falhas ou deficiências próprias.


Depois, chega-se ao cúmulo de apresentar reportagens televisivas, com a do juiz Rui Teixeira a passear de jipe na Serra da Estrela, ao fim de semana, cuja importância é completamente nula para qualquer pessoa esclarecida. A não ser que haja intenções de promover turisticamente os passeios todo-o-terreno na Serra da Estrela, sendo que neste caso, a minha experiência me leva à absoluta concordância com a prática de tão retemperante actividade lúdico/desportiva.
Haja juízo e concentremo-nos no essencial!
Dupond

Emprego qualificado

De acordo com os dados da OCDE, o nosso paí­s cota-se como o seu membro com menor taxa de trabalhadores afectos a funções em áreas de ciência e tecnologia (C&T) no emprego total. Em Portugal, apenas 15 em cada 100 trabalhadores trabalham em áreas de ciência e Tecnologia, o que contraria a situação vivida na maioria dos países, onde essa distribuição se situa entre os 20% e os 35%.
Se o dado em si é preocupante, pior ainda é a tendência que lhe está associada. Em praticamente todos os paises, o ritmo de crescimento deste tipo de recursos humanos foi superior ao total do emprego, excepto em Portugal, Finlândia e Hungria. Os nórdicos, atendendo ao seu avançado estádio de desenvolvimento (já tem mais de 30% do total de emprego nestas áreas) não tem grandes motivos para estar preocupados com a tendência. No nosso caso, a situação é bem diferente, ilustrando bem que o período 1995-2002, também a este nível, foi de má memória.
Dupond

Lápis de Côr homepage

O Lápios de Côr convidou-me para conhecer a sua página pessoal. Como não indicou link, nem reparei que estava indexada na sua página, só agora lá cheguei.
Mais valia não ter ido. Os meus dedos fervilham, os meus olhos brilham, o meu coração bate acelarado, as palavras atropelam-se numa louca correria para o ecran... Pára, Dupont! Controla-te!
(suspiro profundo)
OK. Apenas formulo um desejo: não perguntem a Ferro Rodrigues a sua opinião sobre esta webpage!...
Dupont

Novo blog

Isto está a animar. Através do Lápis de Côr tivemos conhecimento de mais um blog, que presumimos vilacondense: glosas de sua graça. O seu autor é um tal de dbm. Em breve iremos saber quem se esconde por detrás destas letras...
Ainda só tem dois posts, mas revela já um imediatismo que é de aplaudir: a entrevista a Jorge Sampaio, ontem à noite, na RTP1, já está comentada.
Dupond & Dupont

segunda-feira, outubro 27, 2003

Futebol


Ontem, comprei o DVD com a final mágica de Sevilha. Não só, mas também, para me lavar das dez horas de edição vermelha da TVI. Enquanto uns se entretêm a celebrar o passado, o F.C. Porto enche-nos de orgulho com o seu glorioso presente.
"Bailado em Sevilha", foi o nome que deram a esta 'opus magna' do futebol nacional. Fantástico jogo de uma equipa maravilhosa. Só tenho pena que não disponibilizem o encontro com a Lázio, nas Antas, provavelmente o melhor jogo de futebol a que já assisti. Fui à capital da Andaluzia, é certo, mas no que a futebol puro diz respeito, o jogo com a equipa romana é o sonho de qualquer adepto de futebol.
Ontem, por incrível que pareça, enquanto via o jogo em 'fast-forward', abrandando nos lances capitais, ainda senti um nervoso miudinho. Como se Sevilha não passasse de um sonho, depois do pesadelo diário com que me tentam turvar a mente e esconder a mediocridade alheia, através de comentários inacreditáveis sobre o F.C. do Porto, na televisão, na rádio e, especialmente, na imprensa desportiva.
Dupont

domingo, outubro 26, 2003

Anúncios II


Ainda na mesma secção, retive-me ao ler um anúncio destinado a coleccionadores. O vendedor/anunciante oferecia, nada mais nada menos do que um Telex.
Nada de extraordinário, não fora a inquietante sensação de ver a velocidade com que o mundo avança e ao mesmo tempo de como ficamos velhos. Já estou habituado à ideia de saber que o carro de bois que o meu avó utilizava na sua actividade quotidiana é hoje uma preciosidade. Agora, imaginar a mesma coisa de uma peça de escritório com a qual convivi e de que me servi para comunicar com o mundo, leva-me a conclusões preocupantes.
Dupond

Anúncios I

Ao ler a secção de anúncios do JN de hoje, reparei numa estranha disponibilidade de um cidadão que lá colocou a sua publicidade. "Compra-se empresa - Mesmo que esteja em situação difícil - Telemóvel: 91........."


O cidadão anunciante não é esquisito. Não tem preferência por ramo de actividade. Não cura de saber a localização. É-lhe indiferente a dimensão. Mais generoso ainda, disponibiliza-se mesmo para acudir, no caso da empresa estar em dificuldades.
Estranho, não é? Ainda dizem que não há gente boa neste mundo...
Dupond

GANHAMOS!!!


Conforme era meu pressentimento, ganhamos ao Estrela da Amadora por 3-1. A vitória foi justíssima, já que fomos a melhor equipa em campo durante todo o encontro. Se houvesse algum reparo a fazer, esse seria apenas quanto à diferença: perante o jogo praticado pelas duas equipas e pelas oportunidades desperdiçadas, o Rio Ave poderia vencer até por mais.
Apesar disso, julgo que é melhor que tenha sido assim. Na verdade, quando há goleadas, fico sempre com uma estranha sensação de desperdício de recursos. Algo me diz que os golos a mais talvez venham a ser precisos noutras partidas...
Com esta vitória, já somamos 9 pontos, estando no 13º lugar da tabela, ou seja, começamos a ter condições para encarar os próximos desafios sem a desesperante pressão dos pontos.
No local onde estive, senti uma certa hostilidade dos sócios relativamente a Jaime, o marcador do segundo golo. Trata-se do mesmo jogador que já havia marcado o golo do empate em Braga, e que segundo soube pelo post do Rio Ave, também nesse jogo foi severamente criticado pelos relatores da Rádio Linear. É verdade que Jaime não é um jogador de que se goste facilmente. A forma aparentemente desinteressada como se "arrasta" pelo relvado deixa qualquer um com os cabelos em pé. Mas numa apreciação mais rigorosa, compreendi a razão pela qual Carlos Brito insiste em apostar nele. É que Jaime é um jogador tecnicamente bem dotado, claramente superior a muitos dos colegas, e que quando tem a bola nos pés, cria perigo para o adversário. Além disso, demonstrou em algumas situações que tem "visão de jogo", coisa que não se vê em abundância na nossa equipa. Apetece-me fazer a comparação com Gama. Um é preguiçoso, mas perigoso e finalizador. O outro é esforçado, mas inconsequente e desastrado no remate. Será que podemos pegar nos dois e fazer deles apenas um?
Dupond

Gémeos


Há poucos dias, em Dallas, nos EUA, realizou-se uma operação cujo objectivo era o de separar dois gémeos siameses unidos pelo crâneo. A intervenção cirúrgica foi um sucesso. A foto mostra o momento preciso em que os dois se viram pela primeira vez. Um dos médicos comentou, sem certeza, que, pelo menos, uma das crianças terá reconhecido a outra.
Uma vida inteira em que mais do que se tocarem, viveram fisicamente unidos, em que ouviram as mesmas vozes, partilharam os mesmos espaços, uma vida obrigatoriamente em comum. Uma experiência humana quase única.
Mas nunca tinham vista a face do outro com os próprios olhos. Pelo que não se terão reconhecido.
A individualidade humana no seu esplendor.
"I am not an animal! I am a human being! I am a man! ", gritava John Merrick, em 'The Elephant Man', de David Lynch.
Dupont
PS- É claro que comigo e com o Dupond, apesar de sermos gémeos, não há problemas de individualidade...

Rio Ave - Amadora

O Rio Ave joga, hoje à tarde, com o Estrela da Amadora. Um jogo com equipas deste nível é imensamente ingrato. Se ganharmos, mais não fazemos do que a nossa obrigação, uma vez que o adversário está teoricamente ao nosso alcance (é último na tabela). Se empatarmos ou perdermos (coisa que nem é bom pensar), estaremos a desperdiçar pontos para adversários directos, ainda para mais em casa, criando falta de confiança na equipa e instabilidade nos adeptos.
Por isso mesmo, é necessário que os sócios tenham paciência (como tivemos, ao assistir à entediante primeira parte com o Paços) e apoiem a equipa até ao final do jogo.
Cá entre nós, acredito que vamos ganhar!
Dupond
Nota: Aguarda-se, com ansiedade, a actualização do ICM!

Investimento estrangeiro


O Primeiro Ministro esteve hoje em Mindelo, na Infineon, onde participou na cerimónia de assinatura de um contrato de investimento de 230 milhões de euros por parte daquela multinacional, que criará 584 postos de trabalho. Trata-se de uma boa notícia, especialmente bem vinda, porque aparece numa altura em que os níveis de confiança andam por baixo.
Como se sabe, a Siemens (agora Infineon) chegou a Vila do Conde em 1996, alimentando imensas expectativas. Confesso a minha ignorância quanto às consequências que a dita empresa está a ter na economia local. Será que alguém tem dados para responder a coisas como:
1.- Qual o contributo da Infineon para a criação de outras empresas com negócios cruzados (a montante ou a jusante do seu processo produtivo) na região?
2.- Qual a percentagem de quadros nacionais no total de quadros da empresa?
3.- Qual é essa percentagem no pessoal menos qualificado?
A resposta a estas perguntas dar-nos-ia boas pistas para avaliar com mais profundidade o efeito de longo prazo da presença desta multinacional na nossa terra. Gostava imenso de poder manter o sorriso de hoje por muito tempo...
Dupond

sábado, outubro 25, 2003

Marcelo, os livros e a blogosfera


Marcelo Rebelo de Sousa dá, hoje, uma entrevista ao ‘DNa’, o suplemento do Diário de Notícias, brilhantemente dirigido por esse lisboeta sem salvação que é Pedro Rolo Duarte.
Há variadíssimos pontos de interesse, mas uma minha lamentável coscuvilhice fez com que os olhos se desviassem para os comentários sobre Pacheco Pereira e as ‘bocas’ deste sobre a quantidade de livros que o entrevistado afirma ler. Desilusão. Quando se esperava uma resposta sobre-humana, sai uma sub-humana: o Professor confessa que os livros que diz ler, apenas os lê na diagonal: “li e gostei deve ser lido como ‘li na diagonal e gostei’”.
Daniel Pennac, em “Como um Romance” (ASA, 1993), estabelece os Direitos Inalienáveis do Leitor e, entre eles, estão: o de saltar páginas e o de não acabar um livro. Agora, o de ler na diagonal, não encontro. Aliás, para que é que se lê um livro na diagonal? Para se dizer que se leu ? Que se provou, mas não comeu?
Depois desta, estou à espera de ouvir Marcelo Rebelo de Sousa dizer qualquer coisa como “limpei o Metropolitan em duas horas” ou “percorri o Louvre em quatro horas”. E, se alguém perguntar como, já sabemos a resposta: “vi os quadros na diagonal…”. Habilidade de Marcelo ou argumentos de martelo?
Já quanto à sua performance horária – dois ou mais livros, por dia – o político-comentador compara-se, vantajosamente, a Pacheco Pereira: “como não ando a navegar na Internet toda a noite, isso permite-me ler um bocadinho mais do que propriamente quem anda a navegar na Internet”. Assim, à primeira vista, acaba de se criar mais um fenómeno português: como, durante o dia, Pacheco Pereira tem de estar no Parlamento Europeu e, de noite, não dorme porque está a surfar na Net, a conclusão é simples: Pacheco não dorme.
Finalmente, Marcelo não pensa criar um blog: "se a televisão já é um bocadinho instantânea - e o funcionar em instantâneo retira profundiade e distanciamento, o funcionar em blogue diário, temo bem que tenha a vantagem do intervencionismo em cima da hora, do tempo real, mas o tempo real, Às vezes, tem um custo enorme na profundidade da intervenção".
Ou seja, Marcelo também quer tempo para dormir.
Dupont

Cunhas


Absolutamente genial a posta do Abrupto, revelando Eça de Queirós a pedir um favor a Oliveira Martins, para que este dê "atenção" a um sobrinho de sua mulher.
A "cunha" como costume transgeracional. E, tal como se aprende nas Faculdades de Direito, o costume é uma das fontes de Direito…
Dupont

Luto


A minha libido vai entrar em luto, após eu ter sido notificado de que Nicole Kidman anda enroscada com Lenny Kravitz. E até pensam em casar.
A mulher mais sexy do Mundo vai abandonar o grupo das “disponíveis” pela segunda vez, após o falhanço com Tom Cruise. Ainda me lembro do dia em que recebi esta notícia. Até abri uma garrafa de Möet et Chandon…
Apaixonei-me pela bela Nicole, quando vi toda a alvura da sua pele, no filme 'Calma de Morte', enquanto saltitava, nua, por um barco. Dois anos depois, fez-me pular da cadeira, em 'Billy Bathgate', um filme que desperdiçava, ingloriamente, a presença da sua ruiva pelugem… Mas, onde, pela primeira vez, vi aquela malícia erótica que os seus olhos disparam, foi em 'To Die For – Disposta a Tudo', de Gus Van Sant, onde seduz dois adolescentes, convencendo-os a matar o marido. De nota, seguiram-se 'Batman Forever' (esplendorosa) e 'Portrait of a Lady', onde começa a aproximar-se do Óscar. Até que encontra Kubrick e faz 'Eyes Wide Shut'. Como não podia deixar de ser, a sua energia sensual perpassa todo o filme, como já o fazia no respectivo trailer, o mais erótico da história do cinema: nua, ondulando o corpo em frente ao espelho, acolhe as mãos excitadas de Tom Cruise, numa cena de intraduzível carga erótica – tudo filmado num único e longo take! Ah, daria tudo por ser uma daquelas mãos, por apenas trinta segundos…
A partir daí, qualquer carpete vermelha agradecia ser pisada pelos pés desta deusa australiana, o olhar mais sexy da história do cinema. Agora, vai viver com o Lenny Kravitz.
Esta, não perdoo! Não irei ver mais nenhum filme seu!
Quanto a Mr. Kravitz: DUPOND! Passa cá o martelo, que tenho ali quatro CDs para escaqueirar!
Dupont

Lápis de Cor no...


O nosso “Lápis de Cor” está no Expresso, numa reportagem sobre os bolseiros da Gulbenkian. E logo na ‘Revista’, que a coisa não é para menos, até porque ele é, de longe, o que mais destaque tem: de duas páginas de texto, Lápis de Côr ocupa 2/3 da primeira!
O seu trabalho parece ser fascinante: pesquisa de materiais a incorporar em tecidos a serem aplicados no ser humano. Especificamente, LC trabalha num projecto que tem “por objecto de estudo o coração e o material a incorporar é um açúcar”. Confesso que fiquei curioso e fico à espera que o LC tenha a paciência e a amabilidade de nos dar mais explicações sobre o seu trabalho…
Infelizmente, não há link. A edição on-line do Expresso não é de borla…
Dupont

JVC e as filas de trânsito

O Jornal de Vila do Conde desta semana tem uma notícia sobre as filas de trânsito que se geraram no IC1, fruto das obras de repavimentação em curso. Tem toda a razão, como já aqui referi em post anterior. Seria interessante era ver o JVC aprofundar o problema das filas, falando, por exemplo, das que diariamente se geram no acesso à cidade, seja pela entrada de Azurara, seja a norte para quem vem do IC1. É que ao contrário das filas que refere na notícia, que terminarão logo que as obras cheguem ao fim, aquelas já duram há muito tempo e não se lhes vislumbra o termo...
Dupond

Blogosfera Vilacondense

Está animada a nossa blogosfera! Dos blogues conhecidos, podemos dividir o curto espectro em duas categorias: os genéricos e os temáticos. Nos genéricos, além de nós, incluem-se o Lapis de Cor e o Passarola. Sendo ambos de visita diária, não posso deixar de registar positivamente a maior interactividade proporcionada pelo Lápis de Cor, que dentro da sua idiossicrasia se mostra muito mais aberto ao debate, alimentando condimentadas e estimulantes polémicas. Espero se mantenham com a vivacidade que temos assistido (não fiques triste com o Dupont, porque ele, apesar do que escreve, simpatiza contigo). A esse nível o Passarola mostra-se excessivamente sisudo, cultivando um voo demasido altivo. É um estilo que não critico, mas que reduz algum espaço para mais acesos debates.
Quanto aos temáticos, o Rio Ave é claramente uma referência, logo seguido pelo Rio Ave II e pelo Junqueira. Se o primeiro parece ainda estar a dar os primeiros passos, já do Junqueira espera-se que seja menos hermético. O simples acto de lançar um pequeno assunto sem mais soa a muito pouco. Talvez seja essa a razão que justifique todo o tempo que andou adormecido.
Dupond

Há paixão...

...no Lápis de Côr. Finalmente, o nosso "Capitão-América" mostra um pouco de paixão e sai do cinzentismo entediante que contrastava com o colorido nome com que baptizou o blog.
E percebeu a importância de uma crítica construtiva, pois já só se enganou em duas ou três vírgulas - daquelas iguais às que existem em qualquer língua do Mundo...
Entretanto, poderá dar-me a honra de explicar o que é a minha "escrita fluenta"?...
Dupont

Novo Blog vilacondense

É o Junqueira. Está aqui e já deu um tiro na passarola. Avante, Junqueira.
Dupont

Vou passar a consumir Queijo Limiano....



...depois de ler esta brilhante posta, sobre o senhor imediatamente abaixo e na sequência do que dissemos.
Passo a citar: "(...) o Tavares, muito pouco criativo, decide entrar na mesma linha do Prado Coelho no dia anterior, e indigna-se pela história do "senhor Paulo". Infelizmente para Tavares todos somos iguais perante a Constituição independentemente do título, seja ele conde, doutor, Tavares ou deputado. É uma chatice para a costela monárquica do Tavares mas a igualdade perante a Lei, às vezes pelo menos existe!"
Na mouche. Nem o Captain Blood faria melhor...
Dupont

sexta-feira, outubro 24, 2003

Outro que não dorme...


MST, hoje, no Público, tal qual Eduardo PC, ontem, no mesmo pasquim, também demonstra preocupação com o tratamento por 'senhor' que os juizes dão aos suspeitos...
Dupont

"sócio 2259" candidato a Presidente do Rio Ave?



Digam lá se não são preocupações a mais para um "simples" sócio?
Dupont

O problema formal

A chegada de novos escribas ao panorama jornalístico local é reveladora da enorme vontade que existe em muitos vilacondenses de expressarem as opiniões que fazem sobre a sua cidade, o seu concelho, quem os governa ou sobre acontecimentos de âmbito local.
No entanto, há algo de elementar que não podem esquecer: o saber escrever. As ideias vislumbram-se, mas a sua transposição para o papel demonstra uma mau domínio do português escrito. Há, até, quem pareça escrever da mesma maneira que fala...
Veja-se o caso da coluna hoje assinada por António José Gonçalves, no suplemento de Vila do Conde do PJ - um verdadeiro tratado de asneiras: pontuação errada ("o que vale hoje, na minha modesta opinião, é acima de tudo, o conhecimento"), uma frase sem verbo ("O consumismo fácil, o culto do dinheiro, o egoísmo sem princípios, a violência, a pedofilia...") e incoerência ("A informação é instantânea, rápida...").
Não conheço o autor e nem sequer me estou a debruçar sobre o conteúdo da sua crónica, que subscrevo na íntegra. É algo que me irrita, o maltratar a escrita da língua-mãe. E não é caso único: outro exemplo poderia ser o do ‘Lápis de Côr’, embora aqui se notem evidentes melhorias.
É pena que tal aconteça, porque uma boa mensagem fica prejudicada pela forma deficiente de a transmitir.
Dupont

quinta-feira, outubro 23, 2003

Liberalismo em livro


Acabei de chegar do Porto, mais propriamente do Majestic, onde assisti à apresentação do livro "É difícil ser liberal em Portugal", da autoria de Carlos de Abreu Amorim, um jurista e pensador político, alérgico ao cinzentismo social e ao paternalismo estatal. Nos "intervalos" entretém-se a matar mouros na blogosfera...
Vi caras conhecidas e outras nem tanto, mas todas "de direita": Paulo Morais, Carlos Brito, Manuel Monteiro e Jorge Ferreira, seriam as mais referenciáveis. De Vila do Conde vislumbrei apenas duas presenças - de peso (literalmente...): Albano Loureiro e Pedro Brás Marques.
Na discussão que se seguiu, com intervenção dos presentes, desenrolou-se um debate sério e preocupado, reflexo claro dos sinais de indefinição que atravessam a nossa sociedade, que assiste diariamente ao desvirtuar dos princípios do Estado de Direito.
Dupont

Eduardo PC e Vargas Llosa



O guru da esquerda intelectual e progressista, Eduardo PC, ressuscita no Público de hoje a finada luta de classes. Tudo porque, durante o inquérito, Rui Teixeira tratou Paulo Pedroso apenas por 'sr.". É que "O juiz Rui Teixeira pretende dizer que os políticos não têm prerrogativas, mas que a justiça tem prerrogativas em relação aos políticos. Porque a regra é simples: sempre que numa conversa existe uma assimetria nas formas de tratamento, existe de algum modo uma relação de ascendência ou poder".
Eduardo PC nem lhe passou pela cabeça que as posições ali, eram simplesmente processuais: juiz e testemunha. E que, no final, passariam até a ser a de juiz e arguido. Parece é que o nosso Eduardo PC está mas é com medo de, um dia, ser tratado de forma análoga por esses seres intelectualmente inferiores, os juizes, pelo que vai prevenindo, "a quem de direito"...
Daí que a leitura da entrevista a Mario Vargas Llosa, umas páginas à frente, lhe faça bem. Comenta o autor peruano: "Utopias levaram Humanidade à beira do precipício", pois "a felicidade nunca se pode encontrar num projecto colectivo". Seria um bom tónico, embora Eduardo PC há muito saiba disto, mais precisamente desde que nasceu e lhe disseram que "havia uns mais iguais do que outros...".
Dupont

quarta-feira, outubro 22, 2003

MMG, MST e TVI

A TVI já tem o pior telejornal de todas as emissoras nacionais. Ontem, desceu ainda mais um degrau. MMG, no seu estilo cabotino e histriónico, entrou em conflito aberto com MST. MMG interrompeu várias vezes MST, que não gostou e acusou MMG e a TVI de terem com ele um comportamento discriminatório face a outro colega, MRS para ser mais preciso.



MST, comentador residente, até tinha razão, porque efectivamente não conseguia expôr um único raciocínio. MST tentou enunciar comparações, mas MMG não parece permitir figuras de estilo. MST tentou falar do passado, mas MMG só lhe interessa a actualidade.
Conhecendo o espírito do comentador e o sangue paterno que lhe corre nas veias, esperava-se que MST se levantasse e mandasse MMG às urtigas. Só há uma resposta possível: MST deve estar com falta de dinheiro. Só assim se compreende que se veja obrigado a aturar MMG, a maior desbocada da televisão portuguesa.
Daí que os jornalistas da TVI jurem que ouviram MST, enquanto saía do estúdio, a cantarolar: “Foram cardos, foram rosas...”
Dupont

Informação à Dra. Ana Gomes


Agradeço que quem encontrar a Dra. Ana Gomes a informe de que hoje faz anos a sua "amiga" Catherine Deneuve. Ela que não se esqueça de lhe telefonar (mas só se for de uma cabine pública para não ser escutada!).
Dupond
Não digo quantos anos faz, já que não se pergunta a idade a uma senhora!

Ainda a greve do superior

Agradeço a menção dos colegas do Mata Mouros, bem como os comentários do Vareta Funda. Quanto ao que disse este último, esclareço:
1.- Foi dito que "Geralmente, aqueles que chegam à Universidade são os jovens mais protegidos (pela familia e pela sociedade)". Sei bem da existência de casos como o que menciona, que justificam ter utilizado a expressão "geralmente". Ao concordar com aquilo que diz, pergunto então: Por não fazem os estudantes propostas para que a acção social escolar seja efectiva na resolução de casos desses, em vez de lutarem para isentar do pagamento dos €800,00 todos, incluíndo os que vão diariamente de automóvel e gastam esse valor em festas e afins?
2.- Quando falei da protecção da família e da sociedade aos jovens que frequentam o superior, fiz uma constatação. A grande maioria dos estudantes que conseguem chegar ao superior provêm de famílias estruturadas, e que, muitas vezes com grandes sacríficios, conseguem proporcionar esse bem aos seus filhos. É excelente que assim seja, só sendo pena que tal não aconteça sempre.
3.- Infelizmente, a marginalidade é uma consequência de muita coisa, mas quanto a isso, já vi que concordamos.
4.- Comunismo ou fascismo são duas faces de um sistema de organização totalitarista. É por isso pouco importante se estão num ou noutro extremo.
Aquilo que vemos na atitude dos alunos, mas também dos Reitores, é que a autonomia universitária é boa, mas só para efeitos de alocação das verbas recebidas a seu bel prazer. O que não lhes convém, é a responsabilidade inerente, nomeadamente a busca da excelência ou, por exemplo, a diversificação das fontes de financiamento. É que isso obrigaria as Universidades a conseguir aumentar o peso da receita proveniente dos serviços prestados à sociedade (empresas e/ou estado), o que exige imaginação e muito trabalho. À boa maneira portuguesa, sempre é melhor continuar a sugar a "teta" do estado...
Dupond

terça-feira, outubro 21, 2003

Orgãos de quê?!?!

O nosso Presidente falou ao País. Não disse muito, é verdade, mas cumpriu com aquilo para que foi eleito: assegurar o seu papel de garante do "regular funcionamento das instituições democráticas" (art. 120º da Constituição). É que há quem se esqueça do fundamental: ele é um orgão de soberania, a par do Governo, da Assembleia da República e dos Tribunais.



Neste momento, há revelações que abalam a própria essência do sistema democrático: deputados a serem escutados sem se saber bem se isso é justificado; o Presidente da República, membros do Governo e do principal partido que o compõe são referenciados nas conversas escutadas; há indícios de tentativa de manipulação de titulares de orgãos de soberania uns pelos outros, etc., etc. Muita atenção: não é do Processo Casa Pia que se fala! O que está em causa é a divulgação de matéria em segredo de justiça, do conteúdo dessas declarações e dos comportamentos dos visados - tudo feito ao arrepio de qualquer legalidade. Tudo com fortíssimas implicações políticas, pois trata-se de pessoas legitimamente belitas e, algumas delas, bem que podiam ser os governantes deste País.
Perante isto, dizem alguns que o Presidente da República e o Chefe de Governo deviam enterrar a cabeça na areia, como a avestruz, ou assobiar para o lado, como se nada fosse, esperando pelo funcionamento das "entidades competentes". Era só o que faltava! Esses pobres de espírito ainda não perceberam que é o próprio funcionamento dessas "entidades competentes" que está em causa?
O momento é de crise séria e grave. Há uma legitimidade democrática que os obriga a pronunciarem-se. Não é para "parecer bem"! É para que todos os portugueses saibam que ainda há alguém para quem os valores significam alguma coisa e que, quem nos dirige, sabe o rumo a tomar.
Sob pena de naufrágio colectivo!
Dupont

Greve do Ensino Superior

Os estudantes do ensino superior público estiveram hoje de greve às aulas. O protesto deve-se às novas regras do financiamento das Universidades e, muito especialmente, ao aumento substancial das propinas que os estudantes pagam para as frequentar.
Em concreto, criticam uma lei que dá autonomia às Universidades para fixar um valor de propinas que oscila entre cerca de €400,00 e €800,00. Actualmente, esse valor está indexado ao salário mí­nimo nacional, solução que foi adoptada após idêntico processo conturbado durante o consulado do Governo de Guterres.


Sobre este assunto, gostava de dizer 4 coisas:
1.- A "luta" dos estudantes é ridí­cula, deslocada no tempo e socialmente revoltante. Ridí­cula porque se tem vindo a transformar numa espécie de folclore de época, como ainda recentemente o Sr. Presidente da República afirmou. Deslocada no tempo, porque é um tema velho, gasto, que não causa a mí­nima perturbação na opinião pública. Socialmente revoltante, porque se trata da luta dos beneficiados da sociedade. Geralmente, aqueles que chegam à  Universidade são os jovens mais protegidos (pela familia e pela sociedade). Os outros, aqueles que não estiveram em greve hoje, são os que foram trabalhar aos 15 ou 16 anos ou aqueles que por motivos vários foram parar à  marginalidade. Além disso, os meninos que lutaram para não pagar €800,00 por ano para andar na Universidade são aqueles em quem o paí­s já investiu milhares de euros na respectiva educação, e que em princípio, têm melhores condições para enfrentar o seu futuro.
2.- Utilizando uma linguagem "Ferrea", eu diria que neste momento, os meninos do "não pagamos" consecutivo e das greves, conseguiram que o país se esteja "a cagar" para eles. Basta ver que o assunto foi o 5º ou 6º tema dos telejornais e não fixou mais de 2 ou 3 minutos de antena em qualquer dos canais.
3.- Os grevistas são fascistas. Como é possí­vel que esses senhores tenham utilizado a sua liberdade para fazer greve (cada um faz o que quer), mas não tenham permitido aos que pretendiam assistir às aulas o acesso à escola, fechando as respectivas portas com cadeados? É revoltante esta forma de exercí­cio da liberdade de contestação que cerceia direitos aos outros.
4.- Este tipo de postura mostra bem o nível em que esta gente está . Não se preocupam em discutir o facto de haver cursos absurdos nas Universidades, que só servem para criar desempregados, ou os conteúdos programáticos e a sua aderência à realidade empresarial. A isso, nem ligam, até porque obriga a pensar. Na verdade, para os meninos da "luta", é bem mais agradável fazer uma festa à volta dos cadeados ou chamar nomes à Ministra. Sempre podem utilizar um tipo de linguagem que dominam bem melhor: a do Grunho.
Dupond
Nota: Vale a pena ler um artigo escrito no Público do dia 21 de Setembro da autoria do Prof. Manuel Sobrinho Simões e do Prof. Lobo Antunes sobre este tema.

Manuel Monteiro

Simpatizo com Manuel Monteiro. Já nos tempos do CDS nutria por ele alguma admiração. Perdi-a quando saiu do partido e criou esse projecto pessoal que dá pelo nome de Nova Democracia. E fiquei preocupado quando o vi argumentar que o seu partido não tinha pedófilos nas suas fileiras.
Mas, hoje, citado no Diário Digital, vem mostrar que ainda não perdeu toda a lucidez: "não se pode confundir o princípio de separação de poderes com o silêncio ensurdecedor dos mais altos responsáveis políticos do País" até porque "o primeiro-ministro não pode ficar em silêncio a assistir o país a afundar-se".
Manuel Monteiro tem inteira razão. Durão Barroso não pode guardar silêncio perante os factos que abalam a sociedade portuguesa e comprometem um partido que representa mais de um terço do eleitorado português. O assunto é nacional e Durão Barroso tem obrigações perante todos os portugueses.
Dupont

Descentralização JÁ

Com a chegada das primeiras chuvas a sério, começaram alguns dos tradicionais problemas associados. Parece que as casas do Bairro do Farol, mau grado as obras que a Câmara lá está a fazer já metem água por todos os tectos, os acidentes nas estradas aumentaram, as filas por via das obras no IC1 estão cada vez piores (na passada Sexta-feira, contou-me uma pessoa que demorou duas horas a chegar do Porto a Vila do Conde), etc.
No Domingo, ao passar na ponte vindo de Azurara, olhei para a minha direita e vi o açude do Rio Ave junto à Azenha situada na margem sul. Aquele açude foi reconstruido em 2002 depois de ter ruido num Inverno rigoroso. Passados poucos meses, voltou a ruir. Depois disso, já se passaram muitos mais e nada. Nem foi reconstruido, nem consta que esteja para o ser.
Veja-se, a este propósito, o tempo infindável que demoraram as obras da Ponte D. Zameiro em Macieira a ser realizadas. Quer no caso do açude, quer no caso da Ponte D. Zameiro, estamos perante obras da responsabilidade do Governo.
É mau que obras pequenas como estas não sejam da responsabilidade da autarquia. Estou certo de que estando perto, a Câmara Municipal responderia de forma mais rápida e eficaz.
Por isso, digo: Destralização JÁ!.
Dupond

segunda-feira, outubro 20, 2003

Lápis de Côr a pintar...

O Lápis de Côr arranjou tempo para nos responder, certamente entre dois sorvos de "hot chocolate". Que sorte! Nós, por cá, só temos chocolate quente...
Agora, meu caro, não se queira fazer passar por um Viarco quando das suas palavras se depreende que é um Faber-Castell... Então acha-se humilde? Olhe que não: falar de humildade e usar o pronome pessoal "eu" logo a seguir, indica tudo menos modéstia.
Confesso que me ri com a sua casta e politicamente correcta resposta quanto às "girls". Fico à espera dos relatos, por email privado, especialmente de quem parece conhecer tão bem as 'wild parties' que decorrem no 'campus'...



... de Ann Arbor que, como se vê pela imagem, não é, como libidamente supus, uma "americana" recheada de silicone...
Aproveito para agradecer o convite, mas confesso a minha inclinação por "francesinhas". Por causa do molho...
Dupont

Um Mata-Mouros no mundo da escrita...

Na próxima quinta feira, dia 23, às 21.30h, no café mais bonito do País, o Majestic, irá decorrer a apresentação do livro "É Difícil Ser Liberal Em Portugal". O autor é um dos mais brilhantes elementos da direita portuense e nacional, o matamouros Carlos de Abreu Amorim.
A obra é uma colectânea de artigos publicados nos últimos 3 anos em jornais portugueses.
Obrigatório, pois então.
E podemos ir à vontade, que o CAA é da Nova Democracia, o partido que, segundo o seu líder, Manuel Monteiro, "não tem pedófilos".
Dupont

PS-Para ir tomando o gosto: http://www.causaliberal.net/documentosCAA/documentosCAA.htm


Uma questão de timing...


@Quino
Dupont

269...


..., segundo a 'Pública' de ontem, era o número do prisioneiro Paulo Pedroso. Há pessoas que não têm sorte nenhuma nas coincidências...
Dupont

Contributos...

Alguém sugere blogs para juntar ao nosso index?
Dupont

Tão perto e tão longe...


Na senda das preocupações urbanísticas do Dupond e do Passarola, veja-se esta notícia do Público de hoje (sim, a secção 'Porto' está online. Às vezes acontece...). Trata-se da divulgação da posição do PS da Póvoa de Varzim relativamente a um empreendimento imobiliário. Cito: "Para o PS, 'a solução encontrada padece de excesso de volumetria, de uma sobrecarga de massa edificada, traduzindo assim um espaço urbanamente constrangido e que irá sofrer de uma atrofia crónica no seu relacionamento com a estrutura urbana já existente, onde são já evidentes problemas graves de congestão nos espaços afins ao quarteirão alvo de intervenção' ". A ser verdade, têm inteira razão. Mas, se fosse a eles, tentava um português um pouco menos complexo.
Agora, deixem-me embalar na volumetria da construção civil em algumas freguesias do concelho de Vila do Conde e das posições socialistas locais, ao som dos U2: "Far away, so close..."
Dupont

Telecentro sem e-mail?

Com pompa e circunstância, foi inaugurado na passada semana o Telecentro de Vila do Conde. Uma ideia interessante, que resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal e o Instituto de Emprego, tudo com a benção dos indispensáveis fundos comunitários.
Procurando aproveitar a massa crítica que os naturais usufrutuários daquele Telecentro terão para este modesto blog, procuramos dar-lhes a conhecer o mesmo, através do envio de um singelo e-mail, como temos feito a outras pessoas e instituições da nossa cidade.
A verdade, é que o e-mail veio devolvido, com a indicação de "Reason: Illegal host/domain name found".
Não nos parece que sejam necessários mais comentários...
Dupond

domingo, outubro 19, 2003

Europa, essa irmandade...


Dupont

Mundiais de Trampolin


Complementando as informações de ontem, informa-se que o nosso Diogo Faria conseguiu o 33º Lugar na Qualificação em Duplo Mini Trampolin, entre um total de 45 atletas, não logrando um lugar na final.
No "medalheiro" final dos campeonatos, a Rússia obteve um total de 11 medalhas, seguida da Alemanha com 7 e do Canada e da Ucrânia, com 5 cada.
Portugal não consegiu qualquer medalha.
Entretanto, começam amanhã os Campeonatos do Mundo por Idades (prova que decorreu em Vila do Conde há alguns anos).
Dupond

Estamos a levantar...


O nosso clube empatou em Braga: 1-1, com golos de Wender e Jaime Junior.
Dupont

"Nuestro pais"


O "El Pais" (mais um a pagar, para aceder...) traz um artigo de fundo sobre Portugal.
Pagina 2 :"Portugal en quiebra politica y social - Los escândalos sexuales, la corrupcion y el declive económico conforman una grave crisis nacional"; caixa: "Más audiencia que 'Gran Hermano'". Citações da TIME, New York Times, Guardian, Le Point, Visão e depoimentos de Marcelo Rebelo de Sousa, Eduardo Dâmaso - Público, e Miguel Sousa Tavares. Foto de manifestação de estudantes.
Pagina 3: "El colegio de los horrores-Los casos de pederastia en la Casa Pia, la institucion educativa más prestigiada de Portugal, hipotecan la agenda politica del pais". Resumo daquilo que já sabemos... Foto de Paulo Pedroso.
Dupont
PS-Lá, como cá, a morte do 'grande' Vicente Vazquez Montalban tem destaque de primeira página.

Penso eu de que...

O "Lápis de Côr" acha que nós "concluímos de que"... sobre o futuro político de Vila do Conde. Mas isso não interessa...
Interessante era saber qual, na sua opinião, seria o melhor candidato para o PSD (e/ou o CDS...). Já agora, para quem, como nós, que nada percebemos de máquina ou conspirações partidárias, poderá explicar-nos o sentido e alcance da frase "tenho as minhas dúvidas se a direcção concelhia do PSD também o deseja", relativamente ao candidato supostamente pré-escolhido?
Dupont

It takes two, baby...



Mafalda Ivo Cruz, no Mil Folhas (sem link), do Público: "As pessoas vivem num caos, em que se fixam objectivos individuais, como o sucesso, o poder. São lugares-comuns, mas é verdade que há um enorme mal-estar na vida, as pessoas sofrem muito."
Segundo Adelina Piloto (ver infra) é o que dá andar a ler o Harry Potter...
Dupont

sábado, outubro 18, 2003

Pescas





Para o Expresso (sem link, é a pagar...)o recente acordo das pescas foi "Uma lança em África" e que "no Governo espanhol, o recuo fez estragos". Carmen Fraga, filha de Fraga Iribarne, chegou a classificá-lo de "humilhação", "brincadeira" e "inaceitável". Ainda para aquele semanário, o ministro Sevinate Pinto foi a única personalidade política com direito a estar no "alto", com Santana Lopes, David Justino, Paulo Pedroso e Ana Gomes no "baixo". Justificando a distinção, José António Lima, o autor da coluna opininativa "Altos & Baixos", considera que "foi um sucesso político e negocial, saudado por todos, armadores, pescadores, empresários e responsáveis políticos de vários quadrantes".
Se é assim, então como explicar que, cá pela nossa terra, se diga isto?
Dupont

Boucquet...


Segundo o DN, Ferro Rodrigues foi judicialmente escutado a dizer: «Tou-me cagando para o segredo de justiça». Está explicado o mau cheiro do assunto.
Dupont

Trampolins - Resultados dos Mundiais

Para os curiosos, aqui fica a informação sobre os resultados dos Mundiais de Trampolins, que estão a decorrer Hannover, na Alemanha entre o dia 16 do corrente e amanhã (19 de Outubro).
- Trampolin Masculino Equipas - 11º lugar para Portugal (Diogo Faria incluído na equipa nacional)
- Trampolin Masculino Individual - 6º lugar para o Olímpico Nuno Merino; 30º lugar para o nosso Diogo Faria
- Duplo Mini Trampolin Feminino Equipas - 4º lugar para Portugal
Faltam ainda sair os resultados em Duplo Mini Trampolin Indivudual, cujas finais decorrem amanhã. Logo que sejam conhecidos, cá os trarei.
Dupond

Ainda os Trampolins

O meu post de ontem, a propósito da qualificação de um atleta portguês para os Jogos Olímpicos de Atenas, na modalidade de Trampolins, motivou o seguinte comentário, de aparente censura, por parte do leitor Armindo Paulo: "Diogo Faria, Raquel Pinto e Marta Ferreira dizem-lhe algo?"
Concerteza que se referia à minha última frase: "Infelizmente, com eles (Jorge Moreira e Jorge Pareira), também terminaram os tempos "contávamos" a nível mundial".
Em primeiro lugar, é claro que conheço os atletas que menciona. A Raquel Pinto e a Marta Faria, integram a Equipa Nacional de Duplo Mini Trampolin e o Diogo Faria integra a mesma equipa em Duplo Mini Trampolin e também em Trampolin Individual.
Como é evidente, não quis evidenciar menor respeito pelo brilhante desempenho que estes atletas tem conseguido, nem sequer por nomes como os de Alexandra Silva, Ana Silva, Gabriela Flores, Sara Calafate e António Ferraz, que também representam as cores nacionais em Desportos Acrobáticos. Nem sequer pretendi ofender o Ginásio Clube Vilacondense, clube a que todos pertencem, ou apoucar o excelente trabalho de promoção da modalidade que sempre fez e continua a fazer em Vila do Conde.
A única coisa que pretendi dizer, é que Jorge Moreira e Jorge Pereira conseguiram títulos mundiais, coisa que ultimamente não tem acontecido. Não está em causa o mérito dos actuais atletas nem o seu esforço (que é louvável), mas apenas a constatação dos resultados conseguidos.
Oxalá no futuro me obriguem a vir aqui dar-lhes os parabéns.
Dupond

Rio Ave


O incansável sócio 2259 apresenta hoje algumas das propostas com que se tinha comprometido num dos posts anteriores para dinamizar a relação do Rio Ave com Vila do Conde. Algumas delas tinham, aliás, já aqui tinham sido deixadas por mim, quando apresentei a minha leitura do jogo com o Paços de Ferreira.
Esta coincidência de pensamento entre dois sócios sem ligação entre si, nem aos actuais corpos gerentes do clube, deve fazer pensar a Direcção. Há nelas aspectos tão insuportavelmente evidentes, que até custa perceber como não são postas em prática. A ideia de fazer uma campanha de angariação de sócios, que pudesse ter iniciado no mesmo dia em que se consumou a subida de divisão era evidente.
Apesar de tudo, há um aspecto que é importante ressalvar naquilo que é dito, de forma a que não transpareça a ideia de que estamos contra a Direcção do Rio Ave. É sabida a dificuldade em aguentar o clube, que certamente ainda será agravada num momento de crise económica, em que as empresas financiadoras também não atravessam bons momentos. O mérito de o conseguirem fazer é imenso e merece o nosso aplauso.
Mas não será em momentos destes que mais se sente a falta da capacidade de inovar?
Dupond

Autárquicas


As edições desta semana do Terras do Ave e do Jornal de Vila do Conde publicam duas notícias que é interessante serem analisadas em simultâneo. O Terras do Ave fala de uma reunião de militantes do PSD em Vilar e o Jornal de Vila do Conde, da marcação de encontro com semelhantes fins do PS em Bagunte.
Quer num caso, quer noutro, tratam-se de freguesias em que ambos os partidos estiveram mal nas anteriores eleições autárquicas. O PS não foi capaz de apresentar lista à Junta de Freguesia em Bagunte, perdendo todas as eleições (Câmara e Assembleia Municipal), enquanto que o PSD também não conseguiu fazer lista para a Junta de Freguesia de Vilar e perdeu todas as eleições.
Em ambos os casos, também se dão mais duas coincidências. A Junta de Freguesia de Bagunte (onde o PS reuniu) é liderada por uma lista independente conotada com o PSD. A Junta de Freguesia de Vilar (onde esteve o PSD) é também liderada por uma lista independente, mas com ligações ao PS.
Finalmente, Bagunte já teve no passado recente uma Junta de Freguesia do PS, enquanto que Vilar também já foi governada pelo PSD.
São coincidências a mais, ou estaremos a assistir à colocação no terreno de estratégias de preparação para as autárquicas semelhantes pelos dois principais partidos Vilacondenses?
Pelo que se vê, quer um, quer outro partido estão em plena aceleração do trabalho preparatório das autárquicas. As estratégias parecem indicar que ambos querem começar por atacar aqueles redutos onde a sua situação é mais delicada. É inteligente que o façam, deixando no ar a certeza de que em 2005 teremos, provavelmente, as eleições autárquicas mais renhidas de sempre.
Dupond

Ruy Belo

É hoje apresentado no Solar de S. Roque o primeiro audiolivro da colecção "Sons", que a Assírio e Alvim está a lançar. Segundo sei, trata-se de um conjunto de poemas de Ruy Belo, ditos por Luís Miguel Cintra. Seria possível conseguir combinação mais feliz?
A propósito de Ruy Belo, convém dizer que se trata de mais uma figura insígne da nossa literatura que teve momentos da sua vida que o ligam a Vila do Conde. Com a sua apurada sensibilidade, facilmente se apaixou pelo encanto de Vila do Conde, deixando transparecer esses sentimentos nas palavras que escreveu. Aqui fica um excerto:
"Do alto do monte do Mosteiro espraiar os olhos pelo casario da velha urbe é um regalo!
Deixar escorrer a vista pela zona ribeirinha detendo-se um pouco nos Estaleiros Navais, encher a alma de imagens belas e desaguar no mar, junto à capelinha da Sr.ª da Guia, dá-nos novo alento de vida.
Vila do Conde, terra de belezas e encantos naturais, possui um conjunto notável de monumentos representativos de várias épocas, com realce para o núcleo quinhentista, e foi berço e cofre dos corações de poetas e artistas, José Régio aqui nasceu e por cá passaram outros grandes vultos da literatura como Camilo, Eça, Junqueiro e Antero, Sónia e Robert Delaunney no seu refúgio em Portugal. Também o pintor poeta Júlio/Saúl Dias aqui nasceu. Mas Vila do Conde é também terra de marinheiros e calafates.
Aqui se construíram, aparelharam e equiparam caravelas que sulcaram "mares nunca dantes navegados". Homens moldados pelos ventos do mar ajudaram a crescer esta terra que, hoje, continua bela e progressiva.
Mas, no Monte do Mosteiro, é obrigatório visitar o Convento de Santa Clara, instituição fundada por D. Afonso Sanches, filho bastardo do rei D. Dinis, e por sua esposa D. Teresa Martins. Enquanto a igreja se conservou até aos nossos dias, a velha casa conventual foi demolida, dando lugar a uma edificação do séc. XVIII que pela sua majestade e imponência é um dos ex-libris de Vila do Conde. A igreja classificada como Monumento Nacional, alberga os restos mortais dos seus fundadores e é digna de uma visita. Ao sair, visite de relance a Igreja do extinto Convento de S. Francisco e alongue a vista pelo Aqueduto, o segundo mais extenso do país, outrora com 999 arcos e também classificado como Monumento Nacional.
Miradouro por excelência, o Monte de Santa Clara é o local ideal para conhecer a fisionomia da cidade. Atrai-nos a bela massa granítica da igreja matriz, virada para a Praça Vasco da Gama, antiga Praça Nova, que se alcança descendo qualquer uma das mais velhas ruas do burgo.
Que belo conjunto! ".

Estas palavras enchem-nos a todos nós, Vilacondenses, de orgulho pela terra que nos alberga. Obrigado Ruy Belo.
Dupond

sexta-feira, outubro 17, 2003

Novidades...

Como terão reparado os visitantes habituais, hoje resolvemos investir nas alterações: novo layout dos links, introdução de um apllet para comentários e o recurso a imagens que acompanhem os textos (podendo estar relacionadas, ou não, com o conteúdo dos mesmos)
Esperemos que gostem. Aguardamos comentários.
Dupond & Dupont

Trampolins


Acabo de ler na Lusa uma notícia que me deixa contente e triste ao mesmo tempo.
Contente, porque é sempre uma alegria saber de cada atleta português que consegue garantir a presença nos Jogos Olímpicos, o maior evento desportivo à escala planetária.
Triste, porque esse atleta não é Vilacondense.
Que saudades dos tempos de pujança da ginástica de trampolins praticada no Ginásio Clube Vilacondense, com os inesquecíveis Jorge Moreira e Jorge Pereira. Tiveram azar na época em que competiam: os trampolins não eram modalidade olímpica. Infelizmente, com eles, também terminaram os tempos "contávamos" a nível mundial.
Dupond

Selecção de Itália?



Ao que parece, o seleccionador de futebol de Itália esteve esta semana em Vila do Conde, para estudar as condições da nossa terra para aquelher a sua equipa durante a participação no Euro' 2004.
É uma excelente notícia por várias razões. A Itália é sempre uma das equipas mais mediáticas e que, portanto, mais contribui para a promoção dos locais onde se instala. Por outro lado, é das uma das melhores equipas do mundo, tendo já sido várias vezes campeã do mundo, o que servirá para podermos arregalar os olhos, pelo menos nos treinos. Finalmente, estando cá a selecção italiana, sempre temos a esperança que cá arribem algumas... italianas!
Dupond

Big in America

Na sua vivência transatlântica, o 'Lápis de Côr' tem, certamente, um vasto auditório: " Como muitos sabem estou a fazer o meu Doutoramento nos Estados Unidos da América". Um rapaz humilde, como se vê...



Aliás, todos os dias corro ao seu blog para saber as coisas que ele anda a fazer por lá. Nomeadamente, já notei o seu curioso relacionamento:
a) com as refeições: "jantar em restaurante Koreano", " vou jantar em breve, só não sei onde, sendo certo de que vou sozinho..."
b) com os jornais lidos na internet; " Ainda com cheiro a tinta, o Local-Porto (...)" do Público....
c) com a cama: " Saltei da cama... A noite não foi daquelas de sono constante e fluído"...
"Sono fluído". Soa bem... Nunca experimentei, mas soa bem...
Agora, a este propósito, o que a malta gostava mesmo de saber é: que tal são, as americanas?
Dupont

Eles não sabem que o sonho...

Seriam tantos os links que não vale a pena estar com referências. Lê-se em qualquer pasquim: o Benfica viu membros da sua claque serem presos por posse de droga e o Sporting está a ser investigado por uma brigada de estupefacientes sueca.
Quem não ganha títulos toma uns speeds para sonhar...
Dupont

Durão mole...



Refere Miguel Sousa Tavares que "a escolha de João Soares, o homem da Portucel e grande defensor da eucaliptização total do país, para secretário de Estado das Florestas é cristalinamente demonstrativa de várias verdades sem disfarce - o conúbio permanente entre as celuloses e o poder; o prosseguimento de uma política de abandono da agricultura, com a consequente desertificação do mundo rural; e a esperada constatação de que nenhuma lição séria vai ser extraída do escândalo dos incêndios deste Verão. E demonstra ainda uma coisa mais: que Durão Barroso continua prisioneiro de "lobbies" e da ausência de pessoas competentes para formar um Governo que nos dê esperanças".
Realmente, parece estar na moda, entre os políticos portugueses, o dar tiros nos pés...
Dupont

Projecto pessoal...

...é o de Manuel Monteiro. Contra o PP e contra PP, marchar, marchar. A última boutade deste inconformado foi vir dizer que a Nova Democracia "não tem suspeitos de pedofilia e ainda bem". Está aqui.
É natural. São meia-dúzia e devem conhecer-se todos muito bem...
Dupont

Prescrição política

No seu editorial, o director do Terras do Ave, Pedro Brás Marques, recorda o episódio do cartaz junto ao nó do IC1, para exemplificar uma situação em que alguém deveria ter sido demitido ou demitir-se - o que não aconteceu.
Mesmo concordando com a conclusão, talvez seja bom relembrar ao sr. Director que já houve eleições depois disso. E elas não parecem ter afectado nem o Presidente da Câmara (que continuou a apostar no vereador em causa) nem o PS que continua à frente da Câmara. Ou seja, Vila do Conde não se importou.
Dá que pensar, mas "não vale a pena bater mais no ceguinho". Trata-se de um caso de prescrição política...
Dupont

Bloguem connosco

Caros leitores,
Espero que esta vos encontro de boa saúde, já que nós por cá todos bem.
Ao fim de 10 dias de entusiasmadas "postas", gostariamos muito de saber o que vos parece este nosso espaço.
Bloga cômigo, vai?!!!
Dupond

quinta-feira, outubro 16, 2003

O Orçamento Segundo São Louçã



Fantástico o post do Jaquinzinhos com o título em epígrafe.
Como é bom pertencer a um partido da oposição, sabendo que nunca se chegará ao poder...
Dupond

Jornal de Vila do Conde

Acabo de receber a edição desta semana do Jornal de Vila do Conde. Como habitualmente, o único semanário do nosso concelho prima pelo rigor na data de chegada (religiosamente às quintas-feiras) e pela qualidade do papel e das fotografias. Nesses aspectos, o JVC é uma referência imbatível no concelho.
Gostava de referir agradavelmente a notícia sobre a atribuição, pela Associação Portuguesa dos Municipios com Centro Histórico, de uma menção honrosa ao projecto de recuperação arquitectónica da "Alfândega Régia" .
Curiosa é a legenda de uma fotografia que ilustra um texto em que são abordadas questões de agricultura e pescas. Mostrando a foto Mário Almeida e Sevinate Pinto, num momento de conversa durante as recentes cerimónias de comemoração dos 55 anos da Cooperativa Agrícola, o autor escreve esta pérola: "Qual será o tema da conversa entre o Ministro e o Presidente da Câmara?". Este Ouvidor Costa está cá um indiscreto!!!
Dupond
Nota: Infelizmente, neste post não posso "linkar" nada. A Câmara Municipal não tem site; a Associação Portuguesa de Municípios com Centro Histórico iden; o Jornal de Vila do Conde, nem site nem sequer e-mail...

Construção em altura

O Passarola chama à discussão o tema da estratégia de desenvolvimento urbanístico no espaço rural do nosso concelho. O Dupont já se referiu ao assunto, lembrando um aspecto fundamental - a questão das receitas directas que imediatamente entram nos cofres municipais por cada novo loteamento e/ou licenciamento.
À parte disso, é importante ir um pouco mais longe. Um concelho tem que possuir, no seu território, polos de expansão urbana que permitam fixar as suas gentes e alojar aqueles que lá se pretendem instalar. O que não é paisagisticamente defensável é aquilo a que temos assistido, ou seja, a implantação de uns poucos de "cogumelos" em cada freguesia, dispersos, desembocando numa descaracterização global. O desenvolvimento e o progresso podem e devem ser conduzidos em favor do bem colectivo e não ser consequência do empreendedorismo espontâneo, sob pena deste tipo de riscos.
Sabe-se que Vila do Conde, pela sua priveligiada localização, é um concelho cada vez mais atractivo. Mas não será que, por exemplo, a zona de Mindelo seria muito mais apreciada se tivessem sido salvaguardadas as zonas dunares da invasão de prédios? Não seria muito mais bonita se tivessem mantido um tipo de construção enquadrada com os vastos "pinheirais" que tanto inspiraram Régio (... do pinheiral de Mindelo/que é um belo pinheiral...)?
O caso de Touguinha é também sintomático, como começa a ser também a Junqueira, não esquecendo Macieira, literalmente invadidas por prédios sem nenhuma coerência urbanística.
Nesse aspecto, em Vila do Conde, caminha-se ao sabor do vento que sopra... A Câmara Municipal, à boleia de imagem de preservação da cidade contra arranha-céus, em contraponto com a Póvoa do Varzim, tem conseguido fazer-nos esquecer do que se tem passado com o resto do concelho. Cabe-nos a nós, Vilacondenses, alimentar este debate e ganhar a opinião pública para esta causa.
Dupond

Menezes: A "lebre" negocial?

Ao ler a notícia do JN de hoje sobre a novela da instalação do "El Corte Inglês" no norte, não puder deixar de me lembrar das corridas de atletismo e de umas figuras que nunca ficam na história, mas são fundamentais para que se consigam bons resultados: as lebres. Esses simpáticos atletas tem apenas a função de animar o andamento das corridas durante as fases intermédias, de forma a que, depois de bem lançados, os melhores apareçam no fim e consigam bater records mundiais.
Com o "El Corte Inglês", pode estar a passar-se o mesmo. Vendo a dificuldade em conseguir dobrar as intenções da autarquia do Porto, que não pretende autorizar a instalação na Boavista, os espanhois lembraram-se de chamar à liça a sua lebre de serviço. Quem melhor do que Luí­s Filipe Menezes e a transferência de mais um emblemático investimento do Porto para Vila Nova de Gaia para colocar publicamente Rui Rio numa posição negocial débil?
Se repararem, neste momento, uma franja significativa dos portuenses estão desapontados com esta situação e com o seu Presidente de Câmara. Os espanhois, estarão neste momento a dizer a Rui Rio:
"Nós continuamos interessados na Boavista. O Sr. quer tentar salvar a sua imagem de mais uma derrota perante Gaia e aceitar o nosso projecto?"
Neste momento, a situação de Rui Rio não é nada agradável... Mas em política, também é necessária alguma habilidade.
Dupond

Novo blog

Há um novo blog relacionado com Vila do Conde. Chama-se Rio Ave Futebol Clube. Será para tapar a lacuna da não existência de uma página oficial do clube, como refere o blog pioneiro? É que nem os grandes têm blogs com o nome oficial do clube...
Dupont
PS - Uma confissão: quando vi o link, até me assustei: "raf..."? Royal Air Force? Os ingleses perseguem-me...

Harry Potter vs. Adelina Piloto

Adelina Piloto, no último número do Correio da Junqueira, resolveu dizer de Harry Potter o que Maomé não conseguiu dizer do toucinho....
Segundo esta docente, as histórias do pequeno mago são “literatura maleficamente sedutora, analgésica, inebriante, mágica e exuberantemente anti-pedagógica”, pois as crianças julgam que a vida pode ser ganha sem esforço e que a luta entre o Bem e o Mal em que o primeiro ganhava “é cada vez mais uma ilusão”. Para sustentar a tese cita dois depoimentos de crianças: uma a dizer “ai quem me dera” ser como o Harry Potter que resolve os problemas sem esforço recorrendo à magia; e, outra, que diz “estudar é chato (...) para ganhar dinheiro é preciso tanto esforço”.
Para a autora, os livros atraem os jovens, pasme-se, para mundo imaginários, mágicos, sonhadores.. Perigosa mesmo é a aterragem no mundo real. Mas não se assuste, caro leitor! O que vale é que podemos contar com Adelina Piloto para salvar os jovens portugueses: “há que encaminhar a juventude para os verdadeiros problemas do seu tempo, para que possam construir um futuro auspicioso e, mais do que isso, saibam contornar os problemas inerentes ao viver em sociedade. Não podemos divorciá-los da vida, dos problemas, da luta por um mundo melhor, mais sadio, mais risonho(..)”. Extraordinário! Cá por mim, com esta receita, vão acabar todos na droga...
Mas ainda não terminou, porque se queremos coisas extraordinárias, temos um bom exemplo nos monges do Tibete, que “conseguem levitar por um enorme e contínuo esforço de meditação, recolhimento, sacrifício e alheamento do mundo exterior e não por mágicas fórmulas”. Adelina Piloto desconhece que isto não passa de uma lenda, pois nunca ninguém viu nenhum a fazer semelhante coisa, mas isso não interessa. O importante mesmo é a mensagem: alheia-te do Mundo e verás que até levantas voo...
Minha cara Adelina: a magia sempre maravilhou o ser humano, sempre foi fonte de sonhos e ambições, quer na alegria, quer na tristeza. “Muito gostava de ser mágico para ganhar o Totoloto?” e “Muito gostava de ser mágico para curar a doença do meu amigo?” Quem é que já não pensou assim?
Deixe lá as crianças entrar no mundo do Harry Potter, tal qual eu entrei em Sherwood com o Robin dos Bosques, desci ao fundo do mar à procura do capitão Nemo, fui à Lua com o Tintim, desanquei romanos com o Astérix, abati aviões nazis com o major Alvega, matei leões com o Tarzan e, mais recentemente, sentei-me em Ferraris e Porsches, com top-models a meu lado, enquanto salvava o Mundo de mais um louco...
Que eu saiba, não me deixei de preocupar com os problemas da vida e nem deixei de querer transformar este Mundo num lugar melhor. Muito pelo contrário.
Dupont

Listas

Continuando a moda das listas, e para confirmar a minha tese de que os britânicos são insuportavelmente chauvinistas, eis os dez melhores condutores de sempre da Fórmula 1. Quem os elege é o Sunday Times (não há link, é a pagar...).
Quatro são britânicos.
1º - Jim Clark; 2º Juan Manuel Fangio; 3º- Michael Schumacher; 4º - Ayrton Senna; 5º, Jackie Stewart; 6º Alain Prost; 7º Jack Brahbam; 8º Stirling Moss; 9º Alberto Ascari; 10º Niki Lauda.
O primeiro tinha de ser inglês e o 8º nem sequer conseguiu essa ninharia de ser Campeão do Mundo...
Dupont

quarta-feira, outubro 15, 2003

TERRAS DO AVE! Estamos no Terras do Ave!!!!

Acabei de ver que o Terras do Ave fala sobre nós!
Ena! Que luxo!
Dupont

"rioave" e internet

O sócio 2259 do "rioave" dá uma entrevista ao Terras do Ave, onde denuncia a inexistência de uma página oficial do Rio AVe FC na net.
Dupont
PS - O "Lápis de Côr" também escreve a habitual crónica.

Vila do Conde não está na internet

Até hoje, não consegui ainda compreender o porquê de Vila do Conde ter uma presença na Internet pouco mais do que simbólica. Já aqui abordamos o caricato de recebermos de volta um conjunto de e-mails que tentamos enviar a instituições do concelho quando nos quisemos dar a conhecer.
Verdadeiramente incrível, é ver que a nossa Câmara Municipal não tenha sequer uma página oficial, onde se mostre ao mundo. Já não estamos a discutir índices de interactividade ou funcionalidades que permitam evitar deslocações desnecessárias aos serviços. Fala-se de pelo menos haver uma página!
A título de comparação, ficam aqui alguns exemplos: o de V. N. da Gaia e o de Matosinhos que tem páginas excelentes, ou mesmo Pampilhosa da Serra e Moura, que embora de forma mais modesta, não enjeitam esta forma de comunicar.
Enquanto isso, a nossa Câmara, não consegue melhor do que manter há meses uma página dizendo que... não tem página!
Dupond

Pormenores

Bem oportuno o artigo do "Guardian" trazido pelo Dupond.
Dois pormenores: o primeiro, prende-se com a alegação de que no escândalo de pedofilia estão envolvidos "senior politicians" - como, até agora, só o ainda jovem Paulo Pedroso foi indiciado, a quem se referirá o articulista?; segundo, Gilles Tremlett é apresentado (na janela de 'choose a journalist') como cobrindo a área 'Espanha' - ou seja, Madrid é a capital da península.
Citando o meu homófono: "São sinais que é proibido ignorar".
Dupont

Confiança dos Portugueses nas instituições

Para quem vive dia-a-dia a realidade nacional, é por vezes difícil distinguir entre o essencial e o ruído informativo-mediático. Quantas vezes há coisas importantes que não sensibilizam a nossa atenção de tão vulgares que parecem? Quantas e quantas vezes somos dados a debater a formiga que nos faz cócegas no dedo, e esquecemos o elefante que está prestes a abalroar-nos?
Por isso, é sempre bom dar uma olhadela por aquilo que dizem no mundo sobre nós. A esse respeito, há hoje um artigo interessante no britânico Guardian, que aborda o estado de desânimo que o país vive.
O texto de Giles Tremlett destaca os sinais dessa crise: um Governo que em 18 meses de vida já perdeu 3 Ministros por alegadas actividades ilícitas; um escândalo de pedofilia numa instituição de crianças abandonadas que sociedade devia proteger e não explorar e a crise económica que teima em não passar.
São sinais que é proibido ignorar.
Dupond

Construção em altura

Nos seus voos, o Passarola está com medo de embater nos prédios altos...
Grande post, a colocar o dedo na ferida de um dos principais problemas urbanísticos do nosso concelho. A causa, Passarola, é só uma: impostos - mais edifícios geram mais receitas.
Dupont

Manipulação

O artigo da Time é vergonhoso. Tenho amigos em Bragança e conheço razoavelmente bem a cidade. O retrato que ali é feito não corresponde minimamente à verdade. A prostituição é um fenómeno residual, sem expressão e sem impacto na sociedade. Comparar Bragança a Amesterdão é o mesmo que comparar o património histórico de Vila do Conde, que tem algum, a Roma ou Florença, que tem imenso. Para quem não conhece, o "Red Light District" de Amesterdão é composto por ruas e ruas com prostitutas a exibirem-se nas janelas e sex-shops em todas as portas. Alguém está a ver algo de comparável em Bragança?
Nem de propósito, na sua colecção "Y", o Público apresenta o filme "Manobras na Casa Branca/Wag the Dog". Por si, já é um bom filme. Mas o argumento é fantástico: o presidente norte-americano enrola-se com uma adolescente, a quinze dias das eleições. Para o salvar do escândalo, os seus consultores políticos criam virtualmente um conflito militar. Filmam-se actores a fazer de refugiados, difundem-se imagens montadas, enfim, encena-se uma guerra. O país escolhido é a Albânia, que se desfaz em explicações negando qualquer escaramuça. De nada lhe vale, pois a pressão mediática é asfixiante. Um conto sobre o poder dos media e a sua capacidade de nos manipular.
O título original é sugestivo: "wag the dog - abana o cão". Ou seja: em vez de pôr o cão a abanar a cauda, põe-se a cauda a abanar o cão...
Dupont
PS- O Governo cancelou a publicidade ao Euro 2004 concedida à TIME. Lindo... Pelo menos Salazar foi mais directo: proibiu a venda da revista em território nacional e resolveu o assunto.

Chinês no espaço

Acabei de ouvir na CNN que a China se prepara para lançar o seu primeiro voo espacial tripulado - a edição online da emissora também aborda o tema. Depois dos astronautas americanos e dos cosmonautas soviéticos, chegou a vez da Grande China mostrar o que vale e avisar que é a potência mundial a ter em conta no Sec. XXI. Nos negócios e no deporto já se afirmaram. Chegou a vez do plano tecnológico.
Ou me engano muito ou o "xadrez mundial" vai voltar ao passado, com a hegemonia mundial a ser disputada por dois 'big contenders': EUA e RPC - para nos irmos habituando às siglas...
Dupont

A capa da TIME...

...que tanto excitou o Dupond, está aqui.
Quem é amigo, quem é?
Dupont

terça-feira, outubro 14, 2003

Obras no IC1

O JN apresenta também uma notícia, segundo a qual a nossa Câmara Muncipal tomou posição junto dos responsáveis pelas obras do IC1 (a Euroscut), sugerindo que as mesmas se realizem apenas de noite, minorando assim os prejuízos dos Vilacondenses que tem diariamente de se dirigir ao Porto.
O Presidente da Câmara mostrou que está atento ao que se passa em Vila do Conde, intervindo de forma oportuna. Já agora, onde anda a oposição, que de tão preocupada com os acessos à cidade se esqueceu deste problema?
Dupond

Vila do Conde: 1050 anos de história

A Câmara Municipal vai promover o 2º Encontro de História, intitulado "Vila do Conde 1050 anos de História: a memória dos séculos monásticos", que decorrerá no dia 6 de Novembro, no Auditório Municipal, entre as 9 e as 18 horas, conforme noticia hoje o Jornal de Notícias. A escolha do tema liga-se com a passagem do 110º aniversário do falecimento da última freira do nosso Mosteiro de Santa Clara.
Uma iniciativa a não perder.
Dupond

A entrevista de Lúcio Ferreira

O Presidente da Assembleia Municipal de Vila do Conde, Lúcio Ferreira (que substitui nas funções o ancião António de Sousa Pereira), deu uma entrevista ao Primeiro de Janeiro. Quem esperava novidades ou a apresentação de alguma ideia diferente das habituais, desengane-se.
No entanto, vou fazer aqui alguns comentários que se justificam após uma leitura atenta do texto.
Lucio Ferreira - Este último tema (acessos a Vila do Conde) tem sido aflorado frequentemente, mas julgo que Vila do Conde, comparativamente com o que acontecia há alguns anos, tem essa questão quase resolvida. Logo a seguir diz - Embora hajam problemas que têm a ver com a necessidade de melhorar vários acessos (...)
Conclusão - Afinal há problemas com os acessos a Vila do Conde ou não? É que segundo o próprio Lúcio Ferreira, não é necessário melhorar um ou outros dos acessos, mas sim vários...
Lúcio Ferreira - Lamentavelmente aconteceu um atraso no início da execução deste projecto (POLIS) que numa primeira fase se pode considerar que teve a ver com uma necessidade premente de discussão de uma obra estruturante e abrangente.
Conclusão - Discussão? Onde? Com quem?
Lúcio Ferreira - Quando se conseguir que cada vilacondense, desde a sede do concelho até à última freguesia, tenha água domiciliária e saneamento com qualidade, será óptimo.
Conclusão - Se assim é, estamos perante uma carência que a Câmara não foi capaz de resolver. 30 anos não foram suficientes?
Lúcio Ferreira - É pena que a oposição, além das críticas que apresenta, que muitas vezes não fazem sentido, não apresente também soluções e não constitua alternativa, que me parece o facto mais lamentável. Noutra parte afirma - A discussão é, por vezes, acalorada, mas sempre aberta. Fazendo um balanço destes dois anos, tenho que dizer que é claramente positivo, pois as questões têm sido apresentadas com clareza e discutidas. Logo a seguiu diz - As sessões têm decorrido com elevação e total transparência e tem sido apresentado todo um leque de assuntos de interesse concelhio.
Conclusão: Não tendo sido feita qualquer ressalva do género (tem sido tratados assuntos de interesse concelhio com transparência e clareza apenas pelo PS), não se fica a perceber se a oposição apresenta ou não as suas alternativas e projectos. Em que ficamos?
Comentário geral - Lúcio Ferreira deu uma entrevista em que se apresenta igual a si próprio. Carregado de contradições, não se vislumbra no seu discurso uma única marca que autonomize o seu pensamento do resto da máquina socialista reinante. Para um homem que chegou aquele lugar, e que foi candidato a Deputado da Nação pelo PS Vilacondense nas últimas legislativas, é pouco.
Um nota positiva para o vasto curriculum do entrevistado, especialmente no que toca à ligação ao mundo associativo. Neste aspecto, Lúcio Ferreira merece ser louvado, principalmente quando atravessamos uma época em que é difícil encontrar pessoas que se dediquem graciosamente a servir instituições desse cariz.
Dupond