sexta-feira, abril 30, 2004

Porto ajuda Rio Ave a chegar à Europa

Esta noite, o FC Porto deu um importante contributo para que mais uma equipa do norte entre nas competições europeias. Assim, será possível a Portugal amealhar mais pontos na próxima época, conforme o fizeram Leixões e Boavista nos últimos anos.
O meu FC Porto não é egoista. Também quer que os clubes vizinhos encontrem motivos para sorrir.
Dupont

Uma história

Acabaram de me contar uma história muito curiosa. Numa das últimas reuniões da Câmara Municipal de Vila do Conde em que foi possível a presença do público, apareceu uma pessoa que causou forte incómodo a alguns Vereadores. Com efeito, uma senhora de cerca de 30 anos terá entrado pelo Salão Nobre dentro, carregando nas mãos um volumoso dossier, sem que ninguém conseguisse imaginar o que tal facto significaria.
Chegado que foi o período de intervenção do público, a referida senhora levantou-se e dirigindo-se ao Vereador do PSD, Miguel Paiva, perguntou se lhe podia entregar os papeis de que era portadora. Com os socialistas perfeitamente siderados e de boca aberta, a senhora deixa o dossier com o social democrata e vira costas, ausentando-se da sala.

Tudo isto seria normal, não fosse dar-se o caso de a senhora em causa ser funcionária da Câmara Municipal de Vila do Conde. Não consegui, até ao momento saber exactamente qual o conteúdo dos documentos que entregou, mas a simples existência deste facto causa uma tremenda preplexidade. Será que é por existir este clima que isto aconteceu?
Mas a história não acaba aqui. Ao que parece este "atrevimento" já mereceu a "devida" resposta do Presidente. Processo disciplinar?
Dupond

Bombeiros Voluntários

Depois das dúvidas que aqui deixei na passada semana, eis que as respostas são já do conhecimento geral. Para que conste, cá ficam:
1.- Abel Maia não se recandidatou. Como se previa, Abel Maia sai da Direcção dos Bombeiros Voluntários sem honra nem glória.
2.- A coincidência entre o período eleitoral na associação humanitária e as férias angolanas de Abel Maia queriam simbolizar o relativo "desprezo" que o agora ex-Presidente pretende demonstrar perante a situação que se criou.
3.- O lugar foi assumido por Manuel Teixeira, homem de sempre ligado à corporação, e que muitos viam como aquele que verdadeiramente mandava na instituição.
Por mais que Abel Maia afirme estar de corpo e alma com o PS e com Mário Almeida, os factos apontam em sentido diverso. Primeiro foi o despacho do Presidente a repartir os seus importantes pelouros com com José Manuel Laranja. Agora vemos a sua saída de uma importante associação, sem que a mesma tenha ocorrido com a dignidade que a sua prolongada presidência poderia fazer esperar.
Se a tudo isto acrescentarmos o facto político do dia, ou seja, a entrada na disputa pela sucessão de Almeida de Rogério Torres, um homem que ficará sempre com o mérito de ter provado pensar pela própria cabeça, somos levados a concluir que o tempo e a oportunidade de Abel Maia estão ultrapassados.
Dupond

Clã, de volta


Os Clã, grupo onde pontifica a vilacondense Manuela Azevedo, está de volta com "Rosa Carne", o seu último álbum. Sai na Terça-Feira. Reportagens nos suplementos musicais dos grandes diários, no único jornal especializado e, até, na imprensa local.
Temos, assim, entrevista com o banda no Blitz, no Y do Público, e no DNa, com análise do disco: 8/10 no Y e 5/5 no DNa. Entrevista com Manuela Azevedo no Terras do Ave (pouca música, mais pessoal). Homepage da banda, aqui.
Dupont

Fernando Gomes investigado pela PJ


Segundo o DN, o vilacondense ex-presidente da Câmara do Porto está a ser investigado pela Polícia Judiciária por alegados actos de favorecimento ao F.C. Porto.
Dupont

Mário Almeida passou-se! (Descolonização+Iraque)

Só agora fui chamado à atenção para o discurso proferido por Mário Almeida na sessão comemorativa do 25 de Abril. O Dupond já tinha comentado, mas quando li a transcrição que o Terras do Ave traz, fiquei estupefacto. Veja-se:
- Sobre a descolonização: ""Houve sangue, lá? Houve sangue? Será que era melhor ter feito como agora o país da Democracia no Mundo que nós servilmente seguimos, os Estados Unidos, é melhor o que se está a passar no Iraque? Nós quando saímos de lá deixamos os nossos irmãos africanos em guerra uns com os outros, como está a acontecer no Iraque? Nós não tivemos o enorme mérito de ter integrado toda esta gente que deixou lá" tudo, "mas que está perfeitamente como nós, ao nível de emprego, de regalias sociais"?. Foi uma solução preferível àquela de "andarem lá a matarem-se depois uns aos outros e viessem embora, como há-de acontecer um dia no Iraque, já está tudo a querer fugir… Primeiro matam-nos e depois deixam os restantes que lá ficam a matarem-se uns aos outros. Era isto melhor?"
Ao afirmar que, quando saímos de África, não houve guerra entre quem lá ficou, Mário Almeida só pode estar a brincar...Ou a entrar no campo pioneiro do revisonismo histórico da Guerra Civil em Angola, Moçambique e Guiné... Sempre quero ver se alguém , político ou não, vai tomar posição contra estas declarações...
Os comentários sobre o Iraque são de um nível que nem vale a pena qualificá-los...
Dupont

Mário Almeida passou-se! (Oposição)

Sobre a oposição: “A renovação não passa por aqueles que sonham com o poder, querem o poder, a qualquer preço, o que eles querem é ir para o poder. A gente conhece-os pelos seus trajectos de vida, o que eles fizeram no passado… "
Mas o que é isto? Vão andar a passar em revista o passado dos candidatos da oposição?
Dupont

Mário Almeida passou-se! (Assembleia da República)

Sobre a Assembleia da República, diz o Presidente da Câmara: "Fico estupefacto, mesmo quando uma posição democrática, tomada pelos partidos políticos democráticos, viola os direitos da consciência das pessoas e é enaltecida, quando se fala da limitação dos mandatos. É um certificado de incapacidade às vossas capacidades (…) É dizer: vocês não têm discernimento". Mário Almeida explicou a mesma ideia por outras palavras: "é dizer ‘vocês não têm capacidade para escolher o melhor, porque está sempre lá alguém que vai transitando, e que vocês são tontos, não pensam, e vão votando sempre nos mesmos, e portanto, nós, que somos lúcidos, nós que estamos aqui no Parlamento, nós é que sabemos – estamos a voltar ao tempo do 24 de Abril, dos ‘iluminados’ – nós é que sabemos, e portanto nós dizemos que ao fim de tantos mandatos este vai embora. Vocês queriam que ele continuasse, mas vocês não mandam nada, nós é que mandamos, que estamos aqui em Lisboa’
Se isto não é indelicado, no mínimo, para com a Assembleia da República e os deputados da Nação, não sei o que será. Mas, mais estranho, é Mário Almeida proferir estas palavras contra o seu próprio partido e contra Ferro Rodrigues, um dos grandes impulsionadores da limitação de mandatos…
Dupont

PS de Mindelo

O nº 2 da Junta de Freguesia de Mindelo, uma das mais importantes do concelho pediu a sua demissão, alegando motivos de ordem pessoal.
Mau, mau...
Dupont

Rogério Torres depois do almoço...

Pois é, a notícia da proto-candidatura de Rogério Torres à Câmara Municipal de Vila do Conde, apanhou toda a gente desprevenida.
Toda, toda, não! Porque o candidato teve a delicadeza de informar, Mário Almeida, pessoalmente, do facto. Só ainda não conseguimos confirmar se foi hoje, de manhã, ou se foi no dia da entrevista.
De qualquer forma, os socialistas por nós contactados, directamente ou através de interposta pessoa (e foram meia-dúzia!), estavam completamente "a leste".
No PSD local há divisões: uns acham fantástico, outros mostram-se desconfiados e vislumbram aqui uma maquinação para que Mário Almeida possa aparecer como "entidade reguladora" e conciliadora do partido...
A seguir com muita atenção...
(Ver também o post do Six, no Vila do Conde Quasi-Diário)
Dupond & Dupont

Rogério Torres –II

A entrevista de Rogério Torres tem um aspecto que gostava de abordar de forma individualizada. Vejo nela um grito geracional de socialistas que estão a assistir ao passar do tempo sem que se lhes seja dada a possibilidade de dar o seu contributo à sociedade.
A forma como refere, mais do que uma vez o excesso de tempo que Mário Almeida leva no cargo, o ênfase que atribui à sua juventude (tem 45 anos) e dinâmica são demonstrativos desse aspecto. Sem esquecer o respeito para com o esforço e os resultados conseguidos por Mário Almeida, a referência ao ainda Presidente da Câmara, recorrendo ao pretério perfeito, é sintomática.
Não sei o que vai acontecer a Rogério Torres depois deste “atrevimento”. Muitos dirão que está feito com a oposição, pois está a provocar a desunião da família socialista. Outros dar-lhe-ão força em privado, escondendo-se em público. Será que alguém que concorde com ele (e são vários dentro do PS) terá coragem de lhe dar razão em público?
De uma coisa não tenho dúvidas: se não lhe derem razão já, dar-lhe-ão certamente num futuro próximo. Provavelmente, num futuro muito próximo.
Dupond

Rogério Torres - I

Neste momento, muitos dos nossos leitores estarão a perguntar quem é este Rogério Torres. Pois devo dizer-vos que conheço o Rogério há muitos anos. O Rogério é um socialista convicto, inamovível nas suas convicções e um grande humanista. Como ser humano, o Rogério é das pessoas que qualquer um pode encontrar para amigo. É sério, frontal, leal, sempre bem disposto e muito, muito amigo dos seus amigos.
Politicamente, além da sua profunda convicção socialista, Rogério Torres é também alguém que tem experiência autárquica. Entre 1993 e 2001, desempenhou as funções de Deputado Municipal, sem que lhe tenham sido atribuídas especiais funções no seio do Grupo Parlamentar do PS. Nas autárquicas de 2001, deixou esse cargo, tendo sido candidato na lista de Mário Almeida à Câmara Municipal, no 8º lugar. Obviamente que não foi eleito, mas vê-se, agora, que isso não o afastou da política.
Finalmente, gostava de uma ideia que me ocorreu. Imaginem que Rogério Torres consegue ser candidato pelo PS e ganha a Câmara. Se isso acontecer, correríamos o sério risco de ter o PS a liderar Vila do Conde por mais uma boa série de anos. Competente, sério e simpático como é, Rogério Torres rapidamente ganharia uma empatia com a população, difícil de bater por parte dos adversários.
Dupond

Pedrada no charco

A entrevista de Rogério Torres ao Primeiro de Janeiro de hoje é uma verdadeira pedrada no charco da política Vilacondense. Este militante socialista, ao disponibilizar-se para candidato a Presidente da Câmara Municipal nas listas do PS, nas autárquicas de 2005, faz história. É a primeira vez que se assiste a uma coisa destas num partido que está habituado a ser comandado pela voz imperial de Mário Almeida.
Rogério Torres tem um mérito: verbaliza aquilo que muitos pensam dentro do PS, mas não têm coragem de dizer publicamente. Alguns até o dizem em voz alta, nos cafés, mas quando chega a hora de falar para os microfones da comunicação social, nunca ninguém chegou tão longe.
Na sua entrevista, o economista do PS diz claramente que, se Mário Almeida for candidato, “perderá as próximas eleições autárquicas”. Confirma que 32 anos de exercício de poder criaram “desgaste em Mário Almeida”. Em toda a conversa com a jornalista, Rogério Torres fala de Almeida como sendo um homem do passado, o que se torna absolutamente demolidor para o actual Presidente da Câmara.
Não há dúvidas que depois desta entrevista, nada mais será igual no PS em Vila do Conde. Parafraseando o excelente Sérgio Godinho, apetece dizer que este é o primeiro dia do resto da história política de Vila do Conde.
Dupond

Morram de inveja - 12


Vila do Conde - Edifício dos Paços do Concelho

Esta série de fotos, gentilmente cedidas pelo Terras do Ave, termina aqui.
Dupont

“O Vilacondense” n’O Primeiro de Janeiro

Em 5 de Outubro de 2003, dois amigos vilacondenses resolveram avançar com uma ideia que havia germinado uns dias antes: criar um blog. Nasceu “O Vilacondense”. A ideia inicial, e que ainda se mantém, foi escrever sobre o que nos vinha na alma, os nossos sentimentos, a nossa mundividência. Por isso, no início da página, colocamos o nosso leitmotiv: “Vila do Conde, Portugal, a Europa e o Mundo, por Dupond & Dupont”.
O tempo foi passando e fomos conquistando outra gente que partilhava a nossa visão do Mundo ou,simplesmente, que gostava de se inteirar dela. Nunca pensamos que tomasse as proporções que actualmente tem, o que até nos deixa nervosos, confessamos…
Como se não bastasse, eis senão quando, essa referência da comunicação social nacional, João Paulo Meneses, resolve agarrar na pena e escrever sobre nós. Está aqui, n’O Primeiro de Janeiro. Um texto excessivo, na dimensão e importância que nos dá…
Já lhe mostramos a nossa gratidão, directamente.
Apresentamos, aqui, o nosso público agradecimento.
Dupond & Dupont

Revista da Opinião Vilacondense

No ‘Primeiro de Janeiro’ temos:
- Sérgio Vinagre, “Sondagens e outros índices”
- Afonso Ferreira, “O mundo do P.C.”, sobre os acontecimentos que o envolveram na última AM
- Miguel Paiva, “O Génio e ... os ignorantes”
- João Paulo Meneses, “De Março a Abril” sobre…. “O Vilacondense”
No “Terras do Ave” escreveram
- Pedro Brás Marques, “Tempestade de Abril”, contrapondo os “velhos” aos “novos” políticos, à luz da Revolução e da operação “Apito Dourado”.
- Romeu Cunha Reis, “Sobre atentados, torturas, fome, invasões, explorações, bombas lançadas de aviões e outras formas de terrorismo”
- Eduardo Silva, “O aborto é uma causa nobre”, sobre as movimentações, nos EUA, relativamente ao aborto
- Rui Silva, “As Perguntas da Catarina”, partilhando com os leitores a entrevista que a filha lhe fez, sobre o 25 de Abril.
- Albano Loureiro, “Renovar o 25 de Abril”, questionando se as promessas da Revolução foram, ou não, cumpridas.
Gostei - já é um hábito, mas as reflexões de Cunha Reis continuam excelsas. Rui Silva ficou à beira de um belo artigo e Miguel Paiva, num claro acesso de irritação, escreveu com o coração, o que é sempre de saudar, do estrito ponto de vista emocional- só que ele é político...
Dupont

Música Portuguesa

Hoje, por mail, chegou-me este link, do site “Anos60.com”. O site é uma enorme confusão, misturando composições de outras décadas, mas não faz mal, o que interessa, mesmo, é a parte divertida. Particular interesse tem a página reservada à Música Portuguesa dos anos 60 (‘Resistência’? ‘Mafalda Veiga’? Adiante...). Estive a navegar por ali mais de meia hora. Entre memórias, grandes canções e horrores musicais, há um pouco de tudo…
Quem é que não se recorda da refrescante portugalidade do “Vinho Verde” de Paulo Alexandre: “Ninguém na rua, na noite triste, só eu e o luaaaaar, (pausa) tiriririrri…”? Ou o Conjunto António Mafra, a animar o bailarico “Ó cachopa, se queres ser bonita, arrebita, arrebita, arrebita…”? Sem esquecer, claro, o kitsch insuportável do Vítor Espadinha, no seu sussurrar matador:
Foi em Setembro que te conheci…
Trazias nos olhos a luz de Maio…
Nas mãos, o calor de Agosto…
”.
Fiquei a pensar que mês calharia ao dedo mindinho…
Ah, também tem momentos verdadeiramente delirantes, como ouvir Luís Piçarra a cantar ‘Ser Benfiquista’:
Sou de um clube lutador
Que luta com fervor
Nunca encontrou rival
Neste nosso Porrrrtugal
”.
De rebolar no chão… E quando refere “as papoilas saltitantes”? Hilariante!
(É melhor parar, senão… não consigo escrever mais nada!...)
Então, passando a coisas mais sérias, não pode deixar de ser significativo a listagem começar com Amália e terminar com Zeca Afonso, como se fossem alfa e ómega, o princípio e o fim, da nossa história musical.
MAS, para os nossos leitores de Vila do Conde – Póvoa de Varzim há uma enorme surpresa: a presença de Aurelino Costa!! Nem mais! A declamar Régio e não só! Até dá para imaginá-lo, mão direita erguida, dedos em garra, enquanto declama:
Não me peças palavras
Nem baladas
Nem expressões
Nem alma
Abre-me os seios
Deixa cair as pálpebras pesadas
(…)”
Quem não perder aqui uns bons minutos, não sabe o que é Portugal…
Dupont

quinta-feira, abril 29, 2004

Agente infiltrado...


Com a devida vénia ao Barnabé, aqui está uma foto fantástica, imortalizando Durão Barroso, nos seus tempos de "MRPPista" (é o betinho que vai à frente...).
Reparem bem nos bolsos, cheios de "coisas revolucionárias", para proteger a Liberdade. Grande Durão! Já nesta altura estava ao serviço do nosso país, infiltrado nas fileiras inimigas, investindo contra as "forças democráticas de esquerda" que planeavam escravizar este país. E contra todos aqueles que queriam desvirtuar a Revolução... E contra o fotógrafo que tirou esta foto e que levou um enxerto de porrada pela ousadia do clic!...
Melhor do que ele, só o MDLP! (Força, Avelino, aguenta!) (Valentim, contigo até ao fim!)
Dupont

Remar contra a maré...

Ainda há quem tenha coragem de levantar a voz contra a enxurrada esquerdista que polui a nossa comunicação social:
"Temos um Governo cujo primeiro-ministro, sejam quais forem as apreciações sobre as suas políticas, soube interpretar a maturidade que a democracia portuguesa já atingiu, 30 anos depois da revolução, e agir em conformidade. Num espírito aberto, de reconciliação e de estímulo.
Isso não admira. Por mais defeitos que tenha, o chefe do Governo e do PSD também tem a democracia na massa do sangue, inscrita no seu código genético. Durão Barroso viveu a revolução, como tantos outros da sua geração, como um jovem de extrema-esquerda, radical, sonhador, excessivo. Esta é uma experiência que marca para toda a vida quem a teve. Como dizia Willy Brandt, nada melhor do que o radicalismo na juventude para se ser um bom social-democrata na maturidade
".
Teresa de Sousa, Público.
Dupont

Turkish delight


Noticia o Público que "uma jovem turca de 14 anos foi assassinada pelo pai e pelo irmăo por ter sido violada". Nada como contar com a ajuda da família nos momentos difíceis...
O mais curioso é que este país, onde, pelos vistos, ainda se mata "por honra", é a Turquia, que anseia pela entrada na família...Europeia. E não se trata de um caso isolado, sem significado. Segundo o jornal, são dezenas os registos de crimes idênticos, todos os anos.
Uma vez que a União Europeia não é, exactamente, a Eurovisão, será que tem cabimento incluir, numa estrutura intrínsecamente "ocidental", um país que tem apenas uma minúscula porção do seu território na Europa e que vive baseada em padrões que nada têm a ver connosco? Rejeitar a sua entrada é egoísmo ou bom senso?
Dupont

Morram de inveja - 11


Vila do Conde - Vista da Alfândega Régia, desde o cais das Lavandeiras

Dupont

Assembleia Constituinte no seu melhor...

O Jaquinzinhos é, desde sempre, um dos nossos blogues favoritos. Ultimamente tem feito aquilo que se poderá chamar de 'serviço público': um best of dos melhores momentos da Assembleia Constituinte. Alguns são hilariantes. O último, então, é fantástico. Envolve Américo Duarte, deputado da UDP, e Galvão de Melo, do CDS. Amostra: "O assassino Spínola já dá entrevistas à BBC...".
Dupont

Desgraça

Uma selecção patética foi aquela que defrontou a Suécia, esta noite. Desconcentração, falta de empenho e, claro, mais um frango para o guarda-redes português que mais matéria-prima dispõe para fundar uma negócio de galinhas. Pode ser que revitalize a "zona do frango", a norte da Póvoa de Varzim... E convém não esquecer o Mr. assino-dois-contratos-ao-mesmo-tempo-mas-só-com-clubes-de-países-diferentes, o Luís pesetero Figo, sobre a não chamada dos jogadores do FC Porto. Se a inveja fizesse marcar penalties, estava salvo...
"Este seleccionador acabou com a empatia que a Selecção tinha com o público", avisou Pinto da Costa. Ninguém quis saber. Não faz mal. Isto é Portugal e ninguém leva a mal...
Dupont

quarta-feira, abril 28, 2004

Futebol e Política, essa promiscuidade...


"Ici, il semble que ce soit un suporter du club de foot avec le maire de Chaumont-sur-Loire", no "Mouhaha, le blog du Chevalier Félon"
Ou "o que um tipo tem de aturar para ser Presidente da Câmara"...
Dupond

Onde é que já vi isto? - 2

No JN de hoje, "Gondomar - Controlo do jornal local mais vendido".
É curioso. Em Vila do Conde, o jornal local mais vendido também está controlado por militantes do partido no poder. Nem é preciso dizer o nome, pois não?
Dupond

Onde é que já vi isto? - 1

No JN de hoje, "Gondomar - Câmara comprou à Ferreira SA a totalidade das casas construídas a custos controlados desde 2001 Empresa passou também a vencer concursos para outras obras públicas".
É curioso. Em Vila do Conde, a habitação social também parece estar a ser construída por uma só empresa. Nem é preciso dizer o nome, pois não?
Dupond

Morram de inveja - 10


Vila do Conde - Ponte sobre o rio Ave

Dupont

Tesourada no Valentim


Na edição do passado sábado da ‘Única’, do Expresso, foi publicada uma biografia do Major Valentim Loureiro. Assinada por Felícia Cabrita e Paula Barreiros, recorda a vida daquela polémica personagem desde que nasceu até aos dias de hoje. Acontece que não é um trabalho inédito, uma vez que é a mesma já publicada na extinta “Revista”, no mesmo semanário, em 6 de Julho de 1996.
Esta minha mania de guardar papéis, jornais e revistas dá nisto: fui buscar a original e comparei-as. E há diferenças gritantes. A primeira é formal: de vinte e duas páginas passou apara dez
Mais importante, foi descobrir onde passou o bisturi do cirurgião plástico. Desde logo, foi eliminada quase toda a referência à ascendência do Major, incluindo ao seu avô que “teria nascido de um acerto entre uma jornaleira e um soldado de Napoleão” e à avó que fora “servir para Ribafeita, onde embarrigara do patrão e fora posta a andar”, entre outros pormenores de critério de publicação mais ou menos discutível. Recordo, uma ou duas edições depois, uma carta inflamada de João Loureiro, num tipo de discurso hiper-protector da família, mostrando-se orgulhoso dos seus antepassados. Algo que, por imagens recentes, parece ser um sentimento forte naquela família, o que é sempre de aplaudir.
Tal como numa partida de futebol, onde as faltas mal assinaladas a meio-campo influenciam o jogo, há um sem número de expressões e frases retiradas nesta versão condensada. Lamenta-se, por exemplo, que tenha sido obliterado quase tudo o que está relacionado com a reintegração do Major e que, em passos largos, passou pelo desaparecimento do auto de averiguações e do processo disciplinar. E ainda conseguiu obter um parecer que declara “que não se prova que o ex capitão-Valentim Loureiro tenha cometido as faltas pelas quais foi punido”. Outro aspecto particularmente branqueado foi o da sua participação no MDLP. Ausente está, também a história do cheque de 90.000 contos do BCP, embora se faça referência à sua famosa vitória na lotaria...
Estava tudo ali. A matéria prima com que se fazem pessoas deste calibre. Porque é que o PSD o continuou a apoiar? Mais: porque é que o povo vota continua a votar nele?
Dupont

terça-feira, abril 27, 2004

Túnel


A providência cautelar que obriga à paragem das obras do túnel do Marquês do Pombal em Lisboa é um rude golpe na estratégia de Pedro Santana Lopes. Em primeiro lugar porque se trata de umas das principais obras do seu mandato e em que este autarca mais apostava. Em segundo porque resulta da constatação de irregularidades no processo, o que fragiliza muito quem assim decide. Em terceiro lugar porque, além de o envolver a ele, Pedro Santana Lopes, também põe em causa o Ministro Carmona Rodrigues, que aquando do despoletar do problema, veio a público dizer que tudo estava bem.
E assim, Santana começa a ver a luz ao fundo do túnel em tons cada vez mais escuros...
Dupond

And the Oscar goes to...

Não se fala noutra coisa, em Vila do Conde. A Câmara anunciou que o vereador Óscar Nogueira, da coligação PSD-PP, pediu a suspensão do mandato por seis meses.
Ainda não ouvi justifcações ou reacções do próprio ou comentários das forças políticas. Pode ser que os nossos atentos leitores saibam alguma coisa...
Dupont

MDG's

Millennium Development Goals (MDG's)é o nome que foi atribuído a um conjunto de objectivos temporalmente definidos para a promoção do desenvolvimento humano à escala global. Num mundo cada vez mais aberto, em que a pobreza ainda atinge níveis arrepiantes, todos devemos perceber que a abundância de uns não pode ser conseguida à custa dos outros. Por isso, é fundamental que estas preocupações nunca saiam da nossa mente, tantas vezes toldada por questões menores às quais devotamos um empenho desmedido, que conjugamos com uma terrível indiferença ao que não queremos ver.
Enquanto assim acontece, o mundo caminha. E segundo o Relatório de Monitorização de 2004 quanto à Políticas e Acções tendo em vista o alcançar dos MDG's do Fundo Monetário Internacional, o mundo não tem caminhado muito bem.
"On the current trends, most MDG's will not be met by most countries", diz o relatório logo na abertura. É bom que conheçamos esta realidade, geralmente ausente da abertura dos telejornais, mas que é a mais importante e decisiva de todas. É bom que possamos ler o relatório e ver o que falta fazer. Seja da parte dos paises ricos, seja da parte dos paises pobres. Sim, a vitória na guerra do desenvolvimento humano só pode ser ganha se todos alinharem.
Dupond

Metrossexual


O último ataque feminino ao castelo da masculinidade chama-se "metrossexualidade". Este jargão passou a ser comum quer nas revistas "de homens" como "de mulheres". E o que quer dizer este palavrão?
"Metrossexual" é um termo híbrido, composto das palavras "metro", que apela a civilização urbana e cosmopolita e "sexual", referência aos gays e ao cuidado que dedicam ao corpo. Em suma, é aquele homem que não se inibe em revelar o seu lado feminino, que não tem problemas em retocar as unhas, que usa cremes para purificar o corpo, que tem um guarda-roupa fashion e que está sempre acompanhado de gente glamourosa. Isto aplica-se tanto a gays como a homens straight, passe a redundância...
O termo remonta a 1984 e foi criado por um tal Mark Simpson, no artigo "Here come the mirror men", publicado no The Independent, já lá vão dez anos. No altar desta espécie está David Beckam...
farejo um perigo danado, aqui, para todos os homens que são machos. Do meu ponto de vista, trata-se do mais rasteiro ataque que as mulheres algum dia fizeram à nossa coutada, em mais uma tentativa de nos reduzir a seres reprodutores. E vem disfarçado de boas intenções, porque um "metrossexual" parece um homem melhor. Mas não é. Trata-se apenas de um ser humano politicamente correcto, que não ofende as mulheres ou os homens.
Tal qual prefiro os comunistas aos socialistas como adversários políticos, também aqui prefiro um gay assumido a um macho com dúvidas... Pelo menos, já se sabe com o que se conta!
Dupont

segunda-feira, abril 26, 2004

Tempos da Rádio

Não é que se registem muitas mudanças, na rádio, em Vila do Conde. Para quem não sabe, há duas emissoras: a Linear e a Foz do Ave, ambas com uma audiência próxima do zero, segundo uma sondagem da mesma empresa que fez a da Câmara e ambas lideradas por militantes do PS...
Mas, na Foz do Ave há umas novidades... A chegada de uma nova colaboradora fez estalar uma luta entre ela e o director, pela realização de uma nova grelha de programas. Para já, é ele quem vai levando a água ao moinho....
Entre as poucas novidades, regista-se a "entrada" de comentadores. Todos eles do espectro socialista, não vá o Diabo tecê-las, claro...Marta Miranda, da Biblioteca, Duarte Leite Sá, o próprio director António José Gonçalves e o serpenteante Francisco Mesquita, são alguns dos eleitos...
Ah! Que felicidade quando tudo era mais calmo...
Dupont

País extraordinário

Os inspectores do SEF ameaçam fazer greve durante o Euro 2004 devido ao não pagamento de horas extraordinárias. Os médicos de vários hospitais passam a vida em greve porque não lhes pagam as horas extraordinárias ao preço que querem.
Que raio de país é este onde é necessário fazer tantas horas extraordinárias e há tanta gente parada no desemprego? Que raio de país é este onde faltam médicos e a respectiva Ordem não quer que se abram mais vagas nas faculdades de medicina?
Somos mesmo um país masoquista. Sofremos do mal ao mesmo tempo que sofremos pela consequência de não aplicarmos a terapia adequada.
Dupond

Ovo de Colombo


O Governo vai acabar com as listas de espera nos hospitais. Para isso, os doentes que estejam a aguardar uma operação há mais tempo do que o razoável, poderão recorrer a qualquer hospital público ou privado que aceite operá-lo, entregando um vaucher que o Ministério da Saúde lhes entregará.
Com este sistema, em teoria, só estará à espera quem quiser. Parece simples, não é? Na verdade, é um autêntico Ovo de Colombo. Desde que funcione, é claro...
Dupond

Obrigatória...

...a leitura de "25 de Abril, nunca". Um texto soberbo, do blasfemo rui a., a colocar o dedo na ferida, relativamente às interpretações precipitadas que ouvimos sobre o 25 de Abril.
Dupont

A Festa no Dragão!


Antes do F.C. Porto-Alverca, cá fora era a loucura total...



...basta ver os cromos que por lá andavam, uns mais famosos do que outros ...



...sendo certo que a RTP está mesmo com nova imagem!



Os Super-Dragões animavam a malta...



...enquanto, na Tribuna, o nosso Presidente, Pinto da Costa, tinha, ao seu lado,
um vilacondense, o Pe. Jorge Duarte, pároco de Mafamude e irmão do conhecido Eng. Carlos Duarte



O 'ninja' Derlei está de volta!



O Génio: José Mourinho



Fantástico!



Maravilhoso!



Campeões 2003-2004



O 20º Título do Melhor Clube do Universo

Dupont

Comemorações

Hoje fui ver assistir às comemorações do 25 de Abril no Auditório Municipal de Vila do Conde. Fiquei surpreendido por ver uma sala relativamente composta, pois, num dia solarengo, era suposto não haver tantos "tolos" como eu. Ou seja, pessoas que estivessem dispostas a trocar uma manhã de passeio, à beira mar ou a ler o jornal numa das esplanadas da cidade, por um conjunto de discursos políticos.
Apesar de tudo, dei o meu tempo por bem empregue. Acho que foi uma sessão muito elucidativa do ambiente político de Vila do Conde.
Como era de esperar, Mário Almeida presidiu à sessão e o seu filho falou em nome do PS. Lembrou os saudosos tempos da JS, quando era deputado da nação e fazia boletins com textos de importante figuras do país, exaltou a evolução (que raio de palavra que fui utilizar) de Portugal nestes 30 anos, seguindo à risca os números que o Governo publicou baseado nas estatísticas do INE e apresentou também dados sobre idênticas melhorias em Vila do Conde. Foi uma intervenção equilibrada, que acabou com uma citação do Dr. Sousa Pereira, essa personagem por quem todos temos muita consideração.
O PSD lançou para o discurso uma figura de peso: Albano Loureiro. Fez uma intervenção vigorosa, dita com convicção, mas carregada de críticas ao actual estado da democracia. Falou dos que enriquecem à conta da política, dos que prometem e não cumprem, dos problemas por resolver, da falta de renovação da classe política, da comunicação social seguidista, enfim, um fartote de lanças sem direcção aparente, mas com alvo evidente. É um discurso inteligente, pois falou de coisas sobre as quais toda a população se queixa,sem contudo indicar directamente este ou aquele culpado, conforme fica bem numa cerimónia deste tipo.
O CDS fez-se representar pelo jovem Alexandre Raposo, que lembrou o drama dos militares que fizeram a guerra colonial (parece que o Governo sempre lhes vai dar a talreformazita...), os retormados e o facto de o CDS ter sofrido muito nos primeiros tempos de democracia. Não conseguiu ser brilhante, pois leu um texto que às vezes parecia pouco ligado de umas ideias para as outras, mas acabou por estar a um nível razoável.
O incansável Fernando Reis da CDU esteve igual a si próprio. Chamando reaccionário ao actual Governo (o mais à direita desde o 25 de Abril), centrou-se em questões de âmbito nacional e internacional, esquecendo a componente local.
Antes de se passar para a parte cultural da festa, a apresentação do livro do Dr. A. do Carmo Reis, o Presidente da Câmara também fez um discurso. Falando de improviso, Mário Almeida surpreendeu todos ao responder directamente aquilo que tinha sido afirmado por Albano Loureiro e Alexandre Raposo. A forma veemente e dura com que o seu improviso fluiu mostra que o Presidente da Câmara estava visivelmente incomodado com o que tinha ouvido. Os cerca de 10 minutos que falou serviram para refutar todas as acusações de Albano Loureiro (ou seja, escorregou na casca de banana que o elemento do PSD lhe deixou, pois sentiu-se atingido nas críticas) e de Alexandre Raposo. Falou para a juventude, pedindo-lhes que não alinhem por quem tem esse tipo de ideias (as de Albano e Alexandre). Vociferou contra a proposta de limitação de mandatos. Atacou quem diz asneiras, pois "neste país pode-se fazê-lo sem ir para a cadeia".
Viu-se bem que Mário Almeida está bem activo e a lutar arduamente para continuar a governar Vila do Conde. No entanto, com actos destes, parece-nos um tanto atabalhoado, mostrando uma percipitação desnecessária e sujeitando-se a papeis que não condizem com a dignidade do cargo que ocupa. Mas não vale a pena dizer nada para o demover. É o seu estilo próprio. É a única forma que sabe fazer política.
Gostava de deixar uma palavra final para a parte cultural. A apresentação do livro de Carmo Reis esteve a cabo de José Luis Ferraz. Falou lindamente. Referiu-se ao autor com o carinho e o conhecimento profundo que só os amigos conseguem. Falou sobre Abril com convicção. Esteve em grande nível e conferiu uma extraordinária elevação à cerimónia.
A intervenção de Carmo Reis foi notável. Viu-se que é um humanista e um homem que vive intensamente o 25 de Abril. Fala com sentimento e segurança. Gostei muito.
E assim se passou o 25 de Abril em Vila do Conde...
Dupond

domingo, abril 25, 2004

25 de Abril


1974 - 2004 - 30 Anos de Liberdade

Dupont

sábado, abril 24, 2004

CAMPEÃO!!!!!!!!!


F. C. PORTO - CAMPEÃO NACIONAL 2003-2004

Dupont

Ameaças de morte na Assembleia...

... de Freguesia de Lagarteira, no concelho de Ansião. Tratou-se de mais uma página de ouro do movimento autárquico português. Tudo se passou entre o Presidente da Junta, do PSD, e um deputado municipal do PS. O Correio da Manhã, por uma vez, traz um assunto interessante. "Nem agarrado por membros da Assembleia de Freguesia, o presidente da Junta acalmou. "Eu sei que vou para a cadeia, mas eu mato-te, hei-de cortar-te o pescoço", terá afirmado o autarca, enquanto simulava a acção de uma faca com o dedo indicador".
E o que terá dado causa a isto? O CM explica que foram as "perguntas de António Cerca sobre a venda de pinheiros de um baldio, a alegada autocontratação do presidente para motorista da Junta e a inscrição do número de telefone particular de Clemente Santos em documentos oficiais da autarquia".
Ora aqui está um exemplo que o vilacondense Afonso Ferreira poderá seguir, da próxima vez que se cruzar com Jorge Laranja... Será uma Assembleia Municipal que perdurará na memória de todos, por longos e largos anos...
Dupont

Valentim out...


...só do Tribunal e para já... Curioso foi o facto de não se afirmar inocente... Está acusado de acusado de 18 crimes de corrupção activa, um crime de corrupção passiva e quatro crimes de tráfico de influências. A corrupção activa vai até 5 anos de prisão e a passiva até 8... Isto promete!
Mas, atenção, que a juiza não se limitou ao habitual e mínimo TIR - Termo de Identidade e Residência, afinfando-lhe com 250.000 euros de caução. Quantia que, estamos certos, qualquer empreiteiro amigo prontamente se disponibilizará para liquidar...
Dupont

sexta-feira, abril 23, 2004

Que pedrada!...

Do nosso email: "Um erro de interpretação levou Pinto da Costa a comprar seis mil bilhetes para o festival de música Rock in Rio, convencido de que se tratava de uma sessão de apedrejamento público a Rui Rio, presidente da Câmara Municipal do Porto!
A confusão reside na tradução literal de Rock in Rio, que é "pedra no rio".
Foi a própria organização do Rock in Rio que percebeu que alguma coisa estava errada quando recebeu o telefonema de um funcionário do clube azul e branco, perguntando "quantas pedras é que cada pessoa podia levar para o recinto".
"
Dupont

Otelo lava mais branco


Na Visão, diz Otelo Saraiva de Carvalho: “Gostava de ficar na História como um homem que, desde a juventude, lutou por um ideal e conseguiu alcançá-lo.”. Está visto que este ideal era libertar o País e elevá-lo à posição que merece. E quase conseguiu: quando tentou mandar o Pais pelo ar. Literalmente.
Sobre esse período, Otelo refere que era tudo culpa do PCP: “É verdade que tive ligações estreitas com elementos das Brigadas Revolucionárias, e outros, que mais tarde terão constituído o núcleo duro das FP-25. Havia relações, até familiares, entre elementos da FUP e da BRs e houve quem saísse do secretariado permanente da FUP para as FP-25. Tudo isso tornou fácil à Judiciária e aos elementos do PCP nela inseridos, meterem no mesmo cesto FUP, Otelo e FP-25”.
Tão inocente. Foi vítima de uma cabala, é o que é...
No final, revela que vota no Bloco-de-Esquerda. Não era preciso. Nós também sabemos ler nas entrelinhas...
Dupont

Apito Dourado – Era bom, era... – II

Miguel Sousa Tavares, hoje, no Público, num artigo superior, desmascara a quixotesca febre jornalística, atrás de Pinto de Costa, vendo gigantes em moinhos de vento: “Parece-me é que Pinto da Costa se transformou num apito entalado na garganta de quem não lhe perdoa o sucesso”.
Dupont

Apito Dourado - Era bom, era... I

Hoje, no DN: “Jorge Costa nega favorecimentos”. Estamos a falar do secretário de Estado das Obras Públicas e não do defesa-central do F.C.Porto...
Dupont

Ainda a AM de Vila do Conde

Pouco a pouco, lá vão surgindo mais coisas sobre a mais quente AM de Vila do Conde dos últimos tempos. Algumas delas já haviam sido afloradas nos ‘comentários’, mas há outras igualmente interessantes.
A sessão Afonso Ferreira vs. Jorge Laranja, da qual ambos saíram mal, teve ainda outros contornos. Depois do deputado socialista ter reafirmado que o popular era cobarde, este retorqui dizendo que não se importava de ser insultado. E que Jorge Laranja estivesse descansado porque não o ia processar... Se foi assim, Afonso esteve mal... Uma precisão, em relação ao que referimos sobre Alexandre Raposo: o seu comentário destinava-se não só a Jorge Laranja, como também à mesa, que lhe procurou cortar o uso da palavra.
Mais uma vez, Lúcio Ferreira parece que assistiu a tudo sem se conseguir impor. Não é novidade...
Mas onde parece que Afonso Ferreira esteve mesmo mal foi na resposta a António José Gonçalves. Este, na sua intervenção, terá dito que pertencendo a um orgão de comunicação social local, nunca havia sentido pressões. O líder do PP acusou-o de não ter sido esse o teor da conversa havida entre ambos, antes do início da Assembleia. Se foi assim, não será lá muito ético reproduzir, em público, conversas privadas...
Outro ponto quente, mencionado na edição de hoje do Público, prende-se com o comentário de Mário Almeida, sobre a propaganda, desinteresse e auto-promoção que estão subjacentes à divulgação pública de moções e outros documentos da Assembleia Municipal. Como refere o Público, Almeida esquece que o PS também o faz. Mas, principalmente, olvidou os anúncios, a cores, que a sua Câmara paga em todos os jornais locais e não só, como o Primeiro de Janeiro...
Dupond & Dupont

AM - PSD/CDS

Um email de alguém que nos merece toda a consideração, alertou para o facto de Afonso Ferreira e Alexandre Raposo, aquando da intervenção polémica sobre o 25 de Abril, não terem contado com o apoio do PSD, o partido colega da coligação "Por Vila do Conde". É certo que os grupos parlamentares estão separados e não terá havido qualquer concertação prévia. Mas, mesmo assim, é de estranhar. Ou não?
Dupont

AM-Tratamento jornalístico

Para quem não esteve na Assembleia Municipal, é curioso comparar os diversos jornais. Foi a conversa que nos entreteve, hoje, ao almoço, entre umas garfadas de “bacalhau à Gomes de Sá”, num dos restaurantes tradicionais de Vila do Conde.
Segundo quem lá esteve, na Assembleia Municipal, e recorrendo ao método das estrelinhas, a reportagem de Ângelo Marques, no Público, mereceria o pleno – cinco estrelas. Isto apesar de conter um erro factual: não foi Albano Loureiro quem interveio, pelo PSD, na questão da bomba da Seca, mas Pedro Brás Marques. O jornalista do melhor diário nacional está ao nível do seu orgão de informação, pois fala de tudo e de todos, de forma isenta.
Márcia Vara, para O Comércio do Porto, está genéricamente bem. Dois reparos: o título, “Zona da Seca do Bacalhau vai ter restaurantes, bares e uma gasolineira”, por serem factos há muito são conhecidos e não revelarem o essencial da discussão; e, depois, alguma parcialidade, patente, por exemplo, neste comentário: “Ouvidas as críticas, Mário Almeida, Presidente da Câmara Municipal, conseguiu deitar por terra estes argumentos dos deputados da coligação...”. Três estrelas.
Paulo Vidal, para o suplemento do Primeiro de Janeiro, parece que lá não esteve. Apesar do assunto que abordou ser o mais importante e o tratamento ser perfeitamente correcto, onde está a discussão da “sondagem dos 84” e do documento sobre o 25 de Abril, apresentado pelo PP e de que todos os outros falam? Estas sessões podem, efectivamente, tornar-se aborrecidas. Mas esta não deu para dormir... Ou será que ficou a ver o jogo do Porto, como, segundo nos contaram, parece terem ficado bastantes deputados e alguns vereadores... Duas estrelas.
E o JN? Céu Salazar, então?
Dupond & Dupont

Bombeiros

Sem que ninguém se tenha apercebido, as eleições para os orgãos sociais dos Bombeiros Voluntários de Vila do Conde estão marcadas para o próximo dia 29 de Abril de 2004. Ou seja, a associação Vilacondense com maior número de sócios terá o seu acto eleitoral dentro de menos de uma semana.
O actual Presidente da Direcção é o Dr. Abel Maia, Vice-Presidente da Câmara Municipal. Como se sabe, Abel Maia está de férias em Angola, não se sabendo se estará de regresso antes daquele dia. Como é evidente, este facto, conjugado com a já mencionada polémica redistribuição de pelouros na Câmara Municipal, tem gerado imensas dúvidas em Vila do Conde.
As perguntas são várias:
- Será que Abel Maia se recandidata?
- Se o fizer, como se compreende a escolha de um timming tão desastrado para uma ausência prolongada? No mínimo mostra alguma displicencia na forma como faz as coisas.
- Se não se recandidatar, como poderemos compreender este distanciamento? Abel Maia sai ressentido?
- Ainda na hipótese de não recandidatura, quem avança no seu lugar?
Há dias contaram-me no Café Nacional que um Deputado do CDS na última Assembleia Municipal terá falado dos problemas gerados em Vila do Conde pela excessiva dependência do movimento associativo em relação ao Partido Socialista. Pelo que se vê, se falou, parece que acertou em cheio...
Dupond

Acidente


O acidente entre dois comboios na Coreia do Norte mostra a estupidez do regime que governa aquele país. Perante um desastre em que algumas fontes apontam para a possivel existência de cerca de 4.000 vítimas - entre mortos e feridos - as autoridades nada dizem. Perante as debilidades assistências que se sabe existir, o Governo local não pede auxílio ao mundo. Perante as dúvidas quanto ao tipo de acidente (fala-se de comboios com combustível), a comunidade internacional não é informada quanto a eventuais consequências ambientais ou outras.
Quando estamos a celebrar o 25 de Abril, é bom lembrar que há muitos seres humanos que merecem ser libertados dos jugos totalitários. Para conhecerem melhor o sofrimento e a revolta deles, passem os olhos por aqui.
Dupond

Abel Maia

O tema Abel Maia é dos mais badalados na cidade. Quem tiver dúvidas, basta ver o artigo assinado pelo próprio ou o de Carlos Laranja n'O Primeiro de Janeiro de hoje. Observando as coisas com algum distanciamento, a verdade é que há factos que não batem certo. Na passada semana, Miguel Paiva, líder do PSD dizia que Mário Almeida havia rotulado Abel Maia de "lento e incapaz de resolver os assuntos em tempo", socorrendo-se para isso das palavras escritas pelo Presidente da Câmara no despacho que atribuiu os Pelouros do Vice-Presidente a José Manuel Laranja. Na altura até transcreveu as palavras do referido despacho de Mário Almeida: "considerando a necessidade de melhorar a celeridade procedimental e servir em prazos mais oportunos os interesses dos munícipes". A ser verdade que Mário Almeida escreveu isto, a ilação tirada por Miguel Paiva é perfeitamente plausível.
Hoje, quer Abel Maia, quer Carlos Laranja desmentam que a alteração efectuada pelo Presidente da Câmara tenha ocorrido por razões de menos apreço pelo trabalho de Abel Maia. Como dizem, o despacho apenas aconteceu porque o Vice-Presidente estaria de férias durante 15 dias e portanto não se poderia parar a actividade municipal durante esse tempo.
De tudo isto, há uma coisa que se pode concluir de imediato: Mário Almeida foi pouco claro no despacho que exarou. Se a razão eram as férias de Abel Maia, porque não mencionou esse facto no despacho? Era fácil e mataria todas as especulações e leituras que se fizeram posteriormente. No entanto, esperemos pelo regresso de Abel Maia vendo se haverá novo despacho repondo a situação anterior.
Por outro lado, seria bom que as pessoas que conhecem melhor a actividade do municipio nos informassem se é normal acontecerem despacho destes quando os Vereadores vão de férias. Quando Elisa Ferraz se ausenta, há algum despacho a transferir as competências de educação para outro Vereador? Quando António Caetano vai para o Algarve em Agosto/Setembro, Mário Almeida emite despachos transferindo as competências em termos de transito e obras nas freguesias para outro colega? Sinceramente não sei, mas seria bom que alguem mais informado no pudesse dizer...
Dupond

Morram de inveja - 09


Vila do Conde - Jardins da Av. Júlio Graça

Dupont

IMOLUA, S.A.

Quem quiser comprar um terreno na Lua, pode fazê-lo aqui. Depressa, que eles já venderam 300 milhões de acres de solo lunar...
Dupont

Bush começou a campanha


Dupont

Marotices...


Vá até à Xenophilia e saiba como obter coisas extraordinárias, como a desta imagem...
Dupont

TIME

A revista TIME lançou um blog. Chama-se "Techno File" e, tal como o nome indica, apenas trata de matéria do campo tecnológico.
Dupont

Revista da opinião vilacondense

No suplemento de Vila do Conde de "O Primeiro de Janeiro":
- Abel Maia, "Falsidades e Insultos", sobre o que se passou com a mudança de competências entre vereadores da Câmara.
- Alexandre Raposo, "Opções", sobre o Plano de Pormenor da Seca do Bacalhau
- António José Gonçalves, "25 de Abril de 1974 - 30 Anos depois"
- Carlos Laranja, "O balde de água fria", sobre a "sondagem dos 84".
- José Aurélio Baptista, "O Poder e o Povo", sobre democracia
- Felicidade Ramos, "Coincidência ou talvez não", sobre reencarnação e vida depois da morte...
- Fernando Reis, "Pim, Pam, Pum", sobre a "sondagem dos 84" e outros temas
- Sérgio Vinagre, "A evolução que Abril nos permitiu"
Arrepiei-me - com o artigo de Felicidade Ramos.
Ri-me - com o artigo de José Aurélio Baptista, a dar ares de culto, citando Lincoln. Só que cita errado. Veja-se aqui o famoso "Gettysburg Adress", onde Lincoln nem sequer pronuncia a palavra 'democracia'. Os livros, José Aurélio, está nos livros...
Saboriei - os artigos de Carlos Laranja e Abel Maia, porque são um tiro no pé: quem é que se pode dar ao luxo de ter um vereador e um deputado municipal a concertarem poder de fogo sobre si, como acontece com Miguel Paiva? Uma estratégia socialista mal delineada é no que dá...
Gostei Muito - do artigo do Sérgio Vinagre, uma viagem semi-autobiográfica ao 25 de Abril.
Dupont

quinta-feira, abril 22, 2004

Jardim das Cores

Diz o Público que Sousa Cintra, ex-presidente do Sporting terá sido beneficiado pelo "Major": "quanto ao antigo presidente do Sporting, Valentim terá ajudado Cintra a tentar obter uma viabilidade construtiva num terreno localizado numa zona verde".
O que é que queriam? Que fosse numa zona azul ou vermelha?
Dupont

Assembleia Municipal - Fernando "Zandinga" Reis

Logo a abrir, Fernando Reis, da CDU, terá apresentado uma moção para que a Câmara revisse a política de água e saneamento. Com já contava com o chumbo, trazia a resposta preparada, o que foi demais evidente, até porque já falava em nome de toda a oposição antes mesmo de saber o resultado final da votação e antes de conhecer a orientação de voto desta...
Precipitação ou adivinhação?...
Dupont

Peixeirada na Assembleia Municipal - II

Outra coisa que chamou a atenção, terá sido o comportamento de Bruno Almeida, que defendeu a honra pessoal e da sua família (!!!), contra ataques pessoais, algo a que, nas suas palavras, não estaria habituado. Só que, ao que parece e na mesma intervenção, disse ainda que tinha cada vez pior opinião pessoal de Afonso Ferreira e, quando este último fazia uso da palvra, interrompia-o com vários "você não percebe nada...".
Um prodígio de coerência, este jovem...
Dupont

Peixeirada na Assembleia Municipal - I

Parece que a sessão de ontem da Assembleia Municipal foi animada... Pelo menos, a atentar no que ouvi hoje, ao almoço, só faltou andarem ao estalo. E houve promessas...
Antes, o PSD denunciou que a dita sondagem não tinha sido anónima. Mário Almeida desmentiu e Albano Loureiro sacou da mesma e mostrou que continha indicação para morada, andar, fracção e até número de telefone do entrevistado. Almeida saiu baixinho....
Mas, o momento grande foi a declaração política do CDS-PP que declarou existirem, em Vila do Conde, ameaças à livre expressão, condicionamento da comunicação social, "assalto" às associações e mais uma série de coisas, tudo obra do PS. Na resposta, Bruno Almeida e Jorge Laranja terão avançado para o ataque pessoal, este último acusando o deputado do PP de não ter coragem de dizer onde é que estão essas pressões e onde é que se revelam as insinuações. Afonso Ferreira terá então, desafiado Jorge Laranja, perguntando-lhe se ele queria deizer que ele era cobarde. Jorge Laranja disse que sim, que Afonso era cobarde. Os ânimos exaltaram-se, com Alexandre Raposo, do PP, a informar que, se fosse com ele, não era com palavras que as coisas se resolviam...
Pelo que me contaram, não parecia a Coreia do Sul, mas ficou perto...
Dupont

Príncipes...

Duas novas entradas no leitor de CD: “Musicology”, de Prince, e “Greatest Palace Music”, de Bonnie "Prince" Billy.


O álbum do Prince marca o regresso do compositor de Minneapolis à ribalta, após um interregno de vários anos. Fez bem. Os seus últimos lançamentos eram de fraquíssima qualidade, ameaçando pôr em causa a carreira e o bom nome de um dos mais fantásticos criadores de melodias da música contemporânea.
O meu contacto com Prince ocorreu com “1999” e atingiu o topo logo a seguir, com “Purple Rain”. Mas, ao contrário do que se poderia pensar, a minha admiração pelo “midget genius” manteve sempre um nível altíssimo, pela excelência da produção que ele, com fantástica regularidade, fazia brotar de Paisley Park, o seu estúdio-atelier.
Admiração será pouco. Veneração será mais adequado… Nem preciso dizer que tratei de arranjar tudo quanto tivesse rotulado de Prince. Desde a discografia completa, aos vídeos e, mais tarde, aos DVDs, julgo que não me faltará grande coisa… As paixões são mesmo assim. “Bootlegs” ou ‘discos pirata’, tenho vários, incluindo, claro está, o mais famoso da história da música: “Black Álbum”. Estamos a falar de fins dos anos 80, uma altura onde a internet ainda nem sequer era conversa e arranjar estes discos dava um trabalhão e era “complicado”… Mesmo as edições oficiais, raras por este ou aquele pormenor, só se arranjavam com os contactos certos. Os meus, não tenho problema em dizê-lo, era a saudosa ‘Tubitek’, nessa época dourada pré-megastores… Tive a felicidade de o ver ao vivo, em Alvalade, num concerto razoável, que me deixou alguma insatisfação, talvez porque esperasse algo parecido com o que havia dado em Dortmund, na digressão “Lovesexy” e editado em vídeo, que me encarreguei de visionar até à exaustão. Da fita, claro…
Se “Musicology” é a aposta de Prince para reatar a sua carreira, o meu comentário só poderá ser um “nim”. Aquando da audição inicial, em particular das duas faixas iniciais, fiquei na dúvida se estava a ouvir Sua Majestade ou Pedro Abrunhosa… Mas, daí para a frente as coisas melhoram, com o regresso dos trepidantes ritmos a que Prince nos habituou, em “Life’O’The Party”. A sua vontade de regresso é grande e, na quinta faixa, sintomaticamente chamada “Call My Name”, di-lo com clareza: “Heard Ur voice this morning/Calling out my name/ It had been so long since I heard it/ That it didn’t sound quite the same”. Daí para a frente, as composições alternam entre muita sonoridade “clássica” na obra de Prince e alguma coisa nova. E, claro, como é habitual, o álbum é “produced, arranged, composed and per4med by Prince”…
Poderão dizer que “é mais do mesmo” e, em parte, isso até é correcto. Mas, quando o “mesmo” é bom, que mais se poderá desejar?


Por coincidências que nos deixam a pensar se serão meros jogos do acaso ou alguém mais alto a divertir-se com a nossa incredulidade, no dia em que comprei “Musicology” também adquiri “Greatest Palace Music”, de Bonnie “Prince” Billy”. O registo, aqui, é completamente diferente. Da soul/funk/rock passamos para o mundo acústico e melancólico do folk/country alternativo.
Will Oldham, seu verdadeiro nome, é um artista que evoca uma América de espaços, pessoas e locais que, provavelmente, só existirão na sua sensível imaginação. Com um look anacrónico, a lembrar Walt Whitman (uma das suas inspirações) ou um soldado da Guerra da Secessão, este Prince é do melhor que a música actual pode oferecer.
Este álbum encerra músicas geniais, ou não fosse um “best of” disfarçado – com uma curiosa “confusão” entre canções dos seus dois “nomes de guerra”… Não está tudo, certamente, mas está muita coisa importante. E, mais significativo, está muita coisa fantástica. Quem não conhecer o universo de Will Oldham/Bonnie Prince Billy tem aqui uma excelente porta de entrada. Aconselho o clássico “Ohio River Boat Song”, para aperitivo, antes dos pratos principais…
Dupont

F.C. Porto-Deportivo da Coruña


Ontem, fiquei irritado. O dentista alemão que arbitrou a partida Porto-Corunha, no Dragão, merecia era que lhe partissem os dentes. Injusto, porque decidiu de forma dicriminatória lances idênticos, arrogante, pela forma altiva com que tratava os jogadores, displicente, por ter pactuado com o anti-jogo do Corunha, e estúpido, por na sua cabecinha não ter uma pinga de sentido de hunor, o que o levou a expulsar Jorge Andrade.
Já ouvi dizer que "na Corunha, certamente que não teremos este árbitro". Lá isso é verdade. Mas pode vir outro ainda pior. Por mim estou confiante. O FC Porto é uma equipa que respira saúde, qualidade e inteligência, atributos que lhe valerão a presença na final da Liga dos Campeões. E é disso mesmo que se trata, de campeões. E, nisso, o Porto tem "the right stuff".
Dupont

quarta-feira, abril 21, 2004

F.C. Porto-Deportivo da Coruña

Como já é hábito, entrei em estágio para o grande jogo. Vamos lá ver se sair com duas horas de antecedência é suficiente para chegar antes do início do jogo...
Dupont

Entrevista

Mário Almeida dá hoje uma entrevista ao Jornal de Notícias. Quem estava à espera de novidades escusa de perder tempo a ler. Aparecem novamente promessas e mais promessas, sem nada de concreto. De resto, a única diferença relativamente ao que o mesmo Mário Almeida já disse no passado é a alteração dos prazos para a concretização das suas promessas. Antes das autárquicas de 2001, o saneamento demoraria um ano e meio. Agora só em 2007. Dos 907 fogos de habitação social que deveriam estar prontos em 1999, "só faltam 150". Elucidativo!
Há desiquilibrio entre o investimento nas freguesias e na cidade? "Nem pensar", diz o autarca que logo apelida de "disparatadas" as afirmações de quem diz o contrário.
Um registo para a lucidez de Almeida: "O que posso oferecer aos cidadãos não é o brilhantismo". Mr. de La Palisse teria dificuldades em expressar-se de forma mais eloquente...
A imagem que fica é a da lapa. É impossível não ver um autarca cada vez mais agarrado ao lugar e que, mesmo estando há 30 anos e gerir o concelho, ainda acha pouco.
Dupond

Nota: Gostaria de ter ilustrado o post com uma foto de Mário Almeida. Infelizmente, nenhum site registado no Google achou interessante incluir tal conteúdo...

Zandinga voltou!

O famoso astrólogo/vidente voltou! Quem quiser saber resultados desportivos, políticos e afins basta vir aqui...
Dupond

España me mata!!!!

Na Marca: "Una operación de la Policia Judicial (PJ), denominada 'Pito dorado'..."
Dupont

'Força Portugal' já ganhou!...

Mas só no Tribunal Constitucional. Os queixinhas do PS, em vez de discutirem ideias, resolveram insurgir-se contra o uso da palavra "Portugal". Uma linha de pensamento que já conhecíamos. E, com a lata que os caracteriza em questões nacionalistas, até invocaram a Constituição: "O PS queixa-se da utilização da expressão «Força Portugal» tendo como base o artigo 51º da Constituição da República que «diz claramente que os partidos não podem conter expressões relacionadas com qualquer instituição nacional".
O TC mandou-os dar uma volta.
Consta que, a seguir, vão apresentar recurso do cartão vermelho que o PSD lhes mostrou nos cartazes. Ferro Rodrigues, nas alegações, reclama: "Ó sr. juiz, esse jogador já não está há muito em campo..."
Dupont

"É tentar! É tentar! Pode ser que ainda cheguemos a campeões...."

Em comunicado: "O Sporting continua a defender a introdução de alterações estruturais que contribuam para a credibilidade e a regeneração do futebol português".
Dupont

Comunas!!! Go Back into the USSR!!!!


Capa de um panfleto de cariz religioso, anti-Beatles (c.1969)
Dupont

Prendam os Jacksons!!!

Jermaine, o irmão de Michael Jackson, foi para o Iraque pregar a paz e o entendimento. Para acalmar os árabes saiu-se com esta: "I think Muslims have become the new Negroes in America. They are being mistreated at airports, by the Immigration -- everywhere.". Nada como apagar incêndios com gasolina...
Dupont

Desemprego

O drama do desemprego continua a alastrar por Vila do Conde. Depois da Fullspin, da Outex e de mais algumas, eis que se anuncia o possível encerramento da Alematex. Situada nas Caxinas, a fábrica emprega 90 operários. Algumas máquinas já saíram da empresa, há salários em atraso e muita gente sem esperança.
Dupont

terça-feira, abril 20, 2004

Última Hora!!!!


À entrada da PJ...

Dupont

Finalmente, o sistema foi apanhado!!!!!!


Valentim Loureiro preso! O que eu esperei para ler esta frase!!!!!
A operação da Judicária já dura há um ano. E chama-se "Operação Apito Dourado". Parece que já estou a ver os despeitados do costume a corrigirem para "apinto dourado"...
Dupont

Benfica-Quem te quer?

Em Vila Real, um grupo de meliantes resolveu assaltar uma série de carros. Nada escapou, nem mesmo bolas de futebol. Nada? Bem, uma caixa que continha camisolas do S.L. Benfica foi aberta, mas... não levaram as camisolas!!!
As camisolas do SLB... Nem os ladrões as querem...
How low can you still go???
Dupont

As piores músicas de sempre.


Reproduzindo uma iniciativa da Blender Magazine, o USA Today apresenta o Top Ten das piores músicas de sempre. Aqui está:
- Starship: Built This City
- Billy Ray Cyrus: Achy Breaky Heart
- Wang Chung: Everybody Have Fun Tonight
- Limpbizkit: Rollin'
- Vanilla Ice: Ice Ice Baby
- Huey Lewis: The Heart of Rock & Roll
- Bobby McFerrin: Don't Worry, Be Happy
- Eddie Murphy: Party All the Time
- Madonna: American Life
- Paul McCartney: Ebony and Ivory
Por mim, faltam "Born to Be Alive", "Macarena", o "Aserjeje" e o "Bamboleo".
Dupont

Tarantino


Quem não tiver paciência para esperar pelo Volume 2 do "Kill BIll", pode ir exercitando a Uma Thurman, neste joguinho completamente gore.
Dupont

Na crista da Onda Viva

Então não é que O Vilacondense foi citado, como fonte de informação, no debate político havido este fim-de-semana na Rádio Onda Viva, a propósito deste post? A referência pertenceu ao social-democrata Rui Silva, mas nem Jorge Laranja, Fernando Reis ou Afonso Ferreira contestaram o seu conteúdo.
Quanlquer dia fazemos um jornal. Olhem para o que vos digo...
Dupont

Ainda a sondagem...

Hoje, no Bompastor, enquanto tomava café, conheci um inquirido na famosa "sondagem dos 84". Foi o primeiro. Se calhar até há outros mas guardam segredo. Porquê? É fiquei a saber uma coisa curiosa: cada entrevistado teve de dar nome e, claro, morada ao entrevistador, que a inscreveu no respectivo folheto de resposta. Ora bolas, isso assim não vale...
Dupont

segunda-feira, abril 19, 2004

Barraca


Pelo que diz o JN de hoje, alguém andou a comer à custa das refeições escolares das crianças do Porto durante os mandatos de Fernando Gomes e Nuno Cardoso. Segundo a auditoria encomendada pela equipa de Rui Rio as coisas são bem estranhas, pois fala-se de cheques passados à ordem da Vereadora do Pelouro mas que não chegaram a entrar nas contas do município.
O relatório lança a dúvida sobre o valor da receita registada, já que apenas constam cerca de 300 mil euros, quando a receita potencial deveria ser de 4,3 milhões de euros. Ou seja, parece que faltam 4 milhões!!!
Esta é mais uma embrulhada que muito deve prejudicar os projectos de poder do provável candidato Nuno Cardoso. E claro, isto mostra as coisas que se conseguem descobrir quando há mudanças de poder e os dossiers perdem a poeira...
Dupond

Zapatero

O chefe do Governo Espanhol, Zapatero já começou a recolher os beneficios da sua estratégia. Segundo informações de hoje, os grupos terroristas árabes já deram ordens para que cessem os ataques aos soldados espanhóis.
Ou seja, vendo que Zapatero está a fazer aquilo que eles queriam, já lhe deram este pequeno prémio. Não sabemos que mais lhe irão pedir. Mas Zapatero está contente. Portou-se bem e vai receber o prémio.
Vendo a coisa pelo lado dos árabes, a conclusão é que valeu a pena ter rebentado 11 bombas em Madrid em 11 de Março.
Dupond

Superliga

Não, não me refiro à divisão cimeira do futebol nacional, mas antes a uma banda desenhada chamada “A Liga dos Cavalheiros Extraordinários”, criada por Alan Moore, esse nome grande dos “comics”, juntamente com Kevin O’Neill. Há várias compilações, mas tudo se resume a duas séries: a primeira, de 1998, composta meia dúzia de volumes e, mais tarde, uma segunda, já em 2002.
O golpe de génio, aqui, foi “ressuscitar” alguns dos heróis da literatura clássica de aventura e mistério: Alain Quatermain, das ‘Minas de Salomão’, de Rider Hagaard, a tal com a famosa tradução portuguesa, de Eça; Mina, a vampira saída de ‘Drácula’, de Bram Stoker; Capitão Nemo, emergido das ‘20.000 Léguas Submarinas’, de Júlio Verne; a dupla dois-em-um Dr.Jeckyll e Mr.Hyde, de ‘O Médico e o Monstro’, de Robert Louis Stevenson; e, finalmente, Hawley Griffin, o ‘homem invisível’, da novela homónima de H.G.Welles.
Temos, portanto, um quinteto de protagonistas, cada um munido de uma característica diferente que, uma vez conjugadas, criam a tal Liga Extraordinária. A acção está temporalmente localizada em plena época vitoriana, com os nossos heróis a deslocarem-se um pouco por todo o Mundo, lutando contra um tal ‘M’. De Moriarty… É claro que, para a acção resultar, a tecnologia ao dispor de ‘bons’ e ‘maus’ é bastante avançada para a sua época, o que faz cair a série no domínio do subgénero ‘steampunk’... Mas isso são detalhes que não interessam para aqui…



O que realmente me fascinou, para lá do prazer de ler BD, foi o reencontro com uma série de personagens que não via há já bastantes anos, mais precisamente desde a adolescência. Foi o meu avô quem me ofereceu as “Minas de Salomão”, um livro que garantiu ir deliciar-me. Acertou em cheio, claro está, ele, que detestava BD... E foi dali que saltei para Verne, Salgari, Defoe, Stevenson e tantos outros, como aconteceu com muitos jovens da minha e de outras gerações.
No ano passado saiu a versão cinematográfica, com Allan Quatermain a aparecer com o corpo de Sean Connery. Parecia um ‘casting’ perfeito, pois o explorador mais não era do que uma espécie de James Bond de outros tempos… E, para aguçar o apetite, mais duas personagens haviam sido adicionadas: Tom Sawyer, saído da pena de Mark Twain, aqui como espião, e o improvável Dorian Gray, de Oscar Wilde, como 'imortal'. Mas, “como gato escaldado de água fria tem medo”, há muito aprendi que estas versões cinematográficas de séries de BD dão, quase sempre, barraca e da grossa. Não vi o filme na sala escura, mas vi-o, este fim-de-semana, no conforto da sala cá de casa. Ainda bem que assim aconteceu. A fita é mais um exercício barroco e bacoco de efeitos especiais, com actores sem alma e um argumentista que nem sequer conseguiu captar a alma das personagens desenhadas. Lamentável, em toda a linha.
Mas já a BD havia tido dificuldades em impor-se, mas não por motivos técnicos… A grande falha, na minha opinião, é que a juventude de hoje não tem presente as referências bibliográficas e muito menos capacidade para descortinar a riqueza dos comentários e citações histórico-culturais da série. Aliás, houve já quem se desse ao trabalho de organizar ‘anotações’ para que a obra ficasse inteligível aos olhos dos fans de BD, que se limitavam a admirar o ‘traço’ e o correr da história.
Mas este pormenor é, também, elucidativo do tempo em que vivemos, onde a ausência de referências é uma constante por parte de um público com acesso à cultura mas que tem imensa dificuldade em apreende-la, porque não a compreende. E tal não acontece, precisamente porque vivemos numa época onde se cultiva o imediatismo e o superficial sem tempo, pachorra ou instrução para esgravatar e ver o que está por baixo do óbvio. E, como se tal não bastasse, assistimos a uma cultura de arrogância perante a ignorância: quando alguém é confrontado com o seu próprio desconhecimento sobre algo, refugia-se na agressividade ou tenta insultar os outros de ‘intelectuais’. Bem melhor faria em parar, procurar eliminar essa lacuna e tornar-se um pouco melhor.
Por isso é que aqueles cavalheiros eram realmente extraordinários. Ao partilhar as suas aventuras, o seu saber e os seus medos, jovens de todo o Mundo cresciam não só por dentro, mas também melhoravam o seu relacionamento com o Mundo. E sonhavam, algo, hoje, em desususo. Não seria correcto falar de mim, mas vi isso acontecer com muitos outros.
Fica a pergunta: será que, hoje, ainda há espaço para uma tal Liga?
Dupont

"Consistent Porto"


É já depois de amanhã que os azuis-e-brancos da Invicta recebem os azuis-e-brancos d’ A Corunha. Que ganhem os melhores, ou seja, os de cá…
Quem acompanha O Vilacondense já se terá apercebido do eco que temos vindo a dar relativamente ao tratamento dispensado pela imprensa inglesa ao nosso F.C. Porto. Se, de início, era "outsider", evoluindo depois para "UEFA cup traveller’s", agora está quase no panteão dos deuses… Veja-se o Sunday Times: "they are consistency incarnate, in as far as you have to reach deep into the archives to find a defeat that actually mattered to them". A análise sobre a competição nacional é lisonjeira: "they are masters of a weaker domestic league than any of the others semi-finalists, but the winning habbit is still well cultivated". Quanto ao ‘mágico’: "Deco has not mislaid his vintage abilities of last season".
É claro que este respeitinho é muito bonito. Mas convém relembrar, a mentes pequeninas e preguiçosas, que tal foi conseguido através de muito trabalho, grande organização e um tremendo espírito de sacrifício. Só assim se obtém mérito suficiente para merecer comentários elogiosos de quem está habituado a assistir a jogos de uma das mais disputadas ligas de futebol do Mundo.
Dupont

TOP 50 da UEFA


Os ingleses estão perplexos com a UEFA. A acreditar no Sunday Times, a entidade que gere o futebol europeu vai divulgar, ainda esta semana, em Chipre, numa cerimónia que comemorará o seu meio século de existência, a lista dos 50 melhores jogadores europeus de sempre. Tragicamente, não há no Top-Ten um único representante do País que inventou o desporto… E eles não gostaram.
Em primeiro lugar está Zidane, a prata vai para Beckenbauer e Cruyff fica com o último lugar do pódio. Os restantes sete são: Van basten, Dino Zoff, Di Stefano, Eusébio, Yashin, Platini e Maldini. O primeiro inglês é Bobby Charlton em 14º. Referência para Figo em 31º e Camacho, treinador do Benfica, em 36º.
O pior é que, por terras de Sua Majestade, acusam a lista de só ligar a velhas glórias, o que só piora as coisas… Até porque, dizem eles, “esses jogadores estão em vantagem porque toda a gente só se lembra dos jogos bons, enquanto os actuais são confrontados, semanalmente, com o melhor e o pior da sua carreira”.
Porque será que sempre que os ingleses se irritam com estas coisas eu não consigo evitar um sorriso?...
Dupont

O sonho da Esquerda Mundial

Previsão astrológica da morte de George W. Bush. No curriculum, o artista apresenta a previsão da vitória do Porto contra o Celtic, em Sevilha...
Só é pena não acertar nos números do Totoloto lá da terrinha dele...
Dupont

domingo, abril 18, 2004

Sem comentários...

Brahms e quero que morram, no Blogame Mucho
Dupont

Morram de inveja - 08


Vila do Conde - Rua de S.Bento

Dupont

sábado, abril 17, 2004

Apocalypse Now


Há uns bons anos, quando visitei Teotihuacan, um local arqueológico maravilhoso, no México, explicaram-me que ninguém ainda sabia exactamente quem havia construido as pirâmides e demais edifícios ali existentes. Quanto ao seu fim, já tinham sido descobertos alguns indícios. Um dos mais relevantes era a constatação que, no seu ocaso, os habitantes tinham deixado de criar manualmente as imagens dos seus ídolos e passaram a fazê-lo através de moldes...
Lembrei-me deste pormenor quando, no JN, li estas declarações de Manuel Monteiro: "Poucos saberão em Portugal que 40% da produção de galos de Barcelos é feita na China".
Dupont

O Público não aplaude Almeida

Ao contrário do público vilacondense que, aparentemente, acha bom e muito bom o seu presidente da Câmara, o Público jornal não alinha nos parabéns. Segundo o diário : "Para Mário Almeida manter o élan" à frente da Câmara de Vila do Conde, não há nada como uma boa sondagem encomendada pela própria autarquia. Esta semana, foram conhecidos os resultados de uma dessas auscultações ao eleitorado e eles não deixaram margem para dúvidas: 80 por cento de apreciações positivas, o que levou o edil a afirmar uma grande vontade de "continuar a trabalhar". E bem precisará, já que, ainda tomando por base a mesma sondagem, é inacreditável que a câmara não tenha conseguido ainda resolver um problema tão básico como é o abastecimento de água e a criação de uma rede de saneamento condigna".
A oposição não diria melhor...
Dupont

Exclusivo Mundial!!!!!!


O Vilacondense está em condições de revelar que entre as quinze finalistas do concurso Miss Portugal 2004, que a SIC irá transmitir a 29 de Abril, está a Carina Semedo. Vilacondense. Caxineira. Com um corpo e um rosto certamente melhores do que o nome...
A miúda colabora na secção de teatro amador da Associação Cultural e Recreativa das Caxinas e Poça da Barca. Portanto, machos vilacondenses, tudo a correr para lá. Para aplaudir! Para aplaudir, ouviram?
Dupont

sexta-feira, abril 16, 2004

Morram de inveja - 07


Vila do Conde - Vista sobre a Matriz e a entrada do Mercado

Dupont

A Inauguração

A Quarta-feira passada foi um dia em cheio na Câmara Municipal. Aproveitando a abertura de um bar interno para os funcionários do município, Mário Almeida tocou o sino a rebate a apareceu para "botar" faladura na “inauguração”.
A estupfacção era geral. Todos se olhavam a tentar compreender aquela estranha e inovadora atitude do patrão. Mais estranho ainda foi o discurso. “Como sabem, tenho 84% de aprovação dos Vilacondenses, mas preciso de todos vós”, dizia Almeida. "Preciso muito da vossa colaboração para que continuemos assim", pedia o chefe com ar surpreendente ar humilde. “Por isso, quando souberem de alguma coisa que esteja mal, não hesiteis em vir falar comigo”, acrescentava o Presidente. “Peço-vos que faleis directamente comigo”, fez questão de repisar.
Como é evidente, os funcionários da Câmara ficaram absolutamente estupfactos. Não só porque não estavam à espera de participar num comício daquele género, mas porque tudo soou a estranho.
- Então o grande Mário Almeida só agora se lembrou de pedir esta “colaboração” directa aos funcionários?
- Precisa de nós para quê? Para manter o lugar dele, só se for...
- E quando houver "azares", como o das carrinhas apanhadas à noite na SIC? Será que nesse momento Mário Almeida vai dizer novamente que "na Câmara são todos pontenciais suspeitos menos eu (Mário Almeida)"?
- Então a melhor forma é contar as coisas ao Presidente? Não serve contar aos responsáveis dos Pelouros em causa?
- Então transforma-se uma coisa sem significado numa pomposa “inauguração” com discurso e tudo?
Enfim, a cada dia que passa surgem coisas mais surpreendentes em Vila do Conde. Dá que pensar, não dá?
Dupond

Causa e consequência

Ano Novo, Vida Velha. Segundo o JN, “Todas as praias de Vila Nova de Gaia vão ser, no próximo Verão, contempladas com bandeira azul.(…) O feito, que torna o litoral gaiense único no país, com 15 quilómetros de costa limpa, resulta, segundo o vice-presidente da Câmara, Poças Martins, da política de saneamento da autarquia”.
Por cá é o que se sabe: saneamento e água ainda não chegam a metade da população e bandeiras azuis não há, porque o senhor presidente da Câmara não concorda com o método de atribuição, estipulado por lei. Ora, se atendermos ao critério de Poças Martins, tudo bate certo: em terra onde não há saneamento, não há bandeiras azuis.
E assim se conquistam uns fabulosos 83,4% de popularidade!!!!
Dupont

Muito mais do que uma sondagem – 03

Ainda sobre o tratamento dado à sondagem da Câmara Municipal, destaque para o artigo de Céu Salazar, no JN, muito equilibrado, apenas pecando por deixar de fora a opinião dos partidos pequenos. E, entre todos, é o único artigo que “puxa” o facto negativo, em si, para o título. Deste, Mário Almeida não há-de ter gostado. Mas contra o JN não há hipótese: tem mais tiragem do que Vila do Conde eleitores…
No suplemento local do PJ, uma sessão de copy+paste repete o lamentável exercício jornalístico de Paulo Vidal. Mas, e há aqui um grande mas, o jornal emenda a mão ao recorrer a outra jornalista, Vânia Esteves, o trabalho de auscultar a oposição. Porquê esta disparidade? Será que Paulo Vidal não tem “capacidade” para falar com Miguel Paiva, Fernando Reis e Afonso Ferreira, ou será que esse serviço não lhe está incumbido? De qualquer forma, acho desprestigiante para um jornal haver duas notícias separadas, sobre o mesmo assunto, mas cobrindo pontos de vista diferentes. Qual será a razão de não se fazer uma peça única, com assinatura conjunta?
Quanto ao mundo offline: sobre o trabalho de Márcia Vara, para O Comércio do Porto, não tive conhecimento; mas tive d’”O Jornal de Vila do Conde” - até publica os gráficos da sondagem. Este jornal está muito mudado. Vejam lá que não desanca nos 16% de "despeitados" que não acham Mário Almeida um génio…
Dupont

Bomba política

Está a correr a uma velocidade estonteante em Vila do Conde uma autêntica bomba política. Ao que parece, na reunião da Câmara Municipal de ontem, Mário Almeida fez aprovar uma proposta em que atribui os Pelouros das obras particulares (que estão confiados ao Vice Abel Maia) a José Manuel Laranja.
A ser verdade, é a maior desautorização de sempre a Abel Maia, confirmando definitivamente a entrada deste em nítida rampa descendente. A ser mesmo verdade, o pretenso clima conturbado entre as principais figuras socialistas está mesmo aí. Já consta que alguém fez a cama a Abel Maia para que isto tivesse acontecido...
É uma novidade tremenda e por isso, O Vilacondense já está em campo a recolher elementos para actualizar brevemente a notícia.
Dupond

Revista de Opinião Vilacondense

No Terras do Ave temos
- Pedro Brás Marques, “Eu gosto de ler Saramago”, sobre o último livro do Nobel
- Manuel Pereira Maia, “Mário Almeida e o Espírito da Páscoa”
- Romeu Cunha Reis, “Segredo de justiça e segredos da comunicação social - 4.Jornalistas / órgãos de comunicação – o eterno equívoco”
- Albano Loureiro, “Demagogia”, sobre a Guerra no Iraque
- Rui Silva, “…Sempre”, sobre o 25 de Abril
- Eduardo Silva, “Onde estamos nós?”, sobre o ranking internacional de universidades.
No Primeiro de Janeiro, suplemento de Vila do Conde, podemos ler:
- Miguel Paiva, “O desmoronar da Câmara”, sobre a “famosa” sondagem.
- Carlos Laranja, “A insustentável leveza da irresponsabilidade”, sobre as queixas ao programa Polis.
- António José Gonçalves, “25 de Abril de 74 – 30 anos depois (I)”
- Sérgio Vinagre, “A dialética bélica”, sobe os conflitos armados.
GOSTEI MUITO: Sérgio Vinagre, numa bela reflexão sobre a guerra, de Manuel Pereia Maia, com o seu habitual humor corrosivo, e do Eduardo "Lápis de Cor" Silva, sobre um tema que nos deveria preocupar a todos: a inexistência de referências às universidades nacionais nos rankings internacionais.
GOSTEI: Achei curioso o editorial do Pedro Brás Marques, com uma perspectiva pouco comum sobre Saramago... Miguel Paiva, na sequência das suas declarações, está truculento como nunca!
NÃO GOSTEI: de Carlos Laranja. Não, não é embirração, Mas o que é que se pode pensar de alguém que continua a rotular da seguinte forma os que não pensam como ele : "Para quem não ama Vila do Conde (pelo menos sob gestão socialista), é óbvio que quanto pior, melhor".
Dupont

1º de Abril

A história do El Corte Inglês no lugar do Cine-Neiva, afinal, sempre era mentira de 1º de Abril. Mas, pela notícia, parece que enganou muita gente. Por acaso, conheço um político que foi interrogado por uma jornalista, precisamente sobre esse caso. Só não foi capaz de me dizer quem era a rapariga. Alguém sabe?
Dupont

Blog-imagens

Há dois blogs que fazem um uso primoroso das imagens. Um é o Blog da Miúda, com deliciosas paisagens, desde a praia à montanha, desde Matosinhos a Mogadouro. O outro, por sugestão do Blasfémias, é “Pintura Portuguesa”. Sem palavras, com prioridade à imagem.
Dupont

quinta-feira, abril 15, 2004

Tempo de crise...


Em tempo de crise, escolha um Visa Gold adequado às suas necessidades...

Dupont

Morram de inveja - 06


Vila do Conde - Homenagem aos Fundadores

Dupont