sexta-feira, novembro 12, 2004

Entrevista de Mário Almeida


A' O Primeiro de Janeiro, em entrevista não assinada, Mário Almeida volta a gabar o "seu" concelho, onde tudo parece ir às mil maravilhas:
- Contas da Câmara - cujas dívidas atingem a ninharia de 70 milhões de euros: "perante a situação imposta pelo Governo à Administração Local, só um apertado controlo permite assegurar o necessário equilíbrio financeiro". Concerteza, senhor presidente, este Governo "de direita" está no poder há três anos. Nessa altura, a dívida era de 50 milhões de euros e não havia as tais restrições governamentais. Em que é que ficamos?
- Carências concelhias: "o saneamento básico continua a ser a nossa maior preocupação". Calculo, senhor presidente, calculo... Trinta anos à frente da autarquia e o sanemaneto por fazer. E sem capacidade para o fazer. O senhor até teve que "adjudicar o contrato de concessão e exploração dessa rede que vai resolver, a curto prazo, tal problema". Já agora, os tais 70 milhões foram para fazer o quê?
- Vila do Conde: "Pelas razões acima expostas, Vila do Conde é um concelho dinâmico, com uma industria próspera e diversificada com grande respeito pelo ambiente, um pujante sector de serviços". Ambiente? E o "esquecimento" do estudo de impacto ambiental no Nassica? E o comércio? O senhor presidente não entrou, ontem, em nenhuma loja do centro da cidade, pois não? Mas garanto que deve ter ficado com as orelhas quentes...
E, já agora, Senhor Presidente, com que autoridade é que é possível dizer que Vila do Conde oferece "excelente qualidade de vida" quando V.Exª confessa que não há saneamento no Concelho?
Dupont