terça-feira, fevereiro 15, 2005

Propaganda política vilacondense

Ontem e hoje aterraram na minha caixa de correio alguns panfletos partidários, mas de âmbito local. CDU, PS e PSD fizeram uma abordagem mais próxima, mais personalizada ao eleitoral, o que é de saudar.
Um primeiro comentário prende-se com o facto de CDU e PSD terem optado por mostrar a cara dos seus candidatos a deputados pelo círculo do Porto. Por exemplo, o PSD dá rosto e voz a Miguel Paiva. O PS não confiou no seu deputado, Lúcio Ferreira, tendo "escolhido", já adivinharam, Mário Almeida.
Curioso é o facto dos dois maiores partidos terem optado por ilustrar o respectivo panfleto com as obras que os Governos PS e PSD trouxeram para Vila do Conde. O PS apresenta quatro obras (ambiente, reabilitação do Centro Histórico, Abastecimento de água e Polis) de Sócrates enquanto o PSD arrola nove (A7, Colégio Santa Clara, Centros de Saúde de Malta e Vila do Conde, obras no Hospital, Metro do Porto, quartel da GNR, Escola Secundária Afonso Sanches e Polis). O Programa Polis está “repetido”: um porque escolheu Vila do Conde (PS) outro porque deu as verbas (PSD)...
Sintomático é o facto de, cada vez mais, as obras fundamentais em Vila do Conde dependerem do Poder Central e não da iniciativa local. A isto não será alheio o facto, claro está, de a Câmara estar profundamente endividada.
Finalmente, uma pérola - há sempre uma, graças a Deus... Escreve Mário Almeida:
“Se é inquestionável que Vila do Conde regista um contínuo e sustentado
progresso, com José Sócrates veremos ultrapassados os impasses na concretização de compromissos governatamentais como o novo Hospital, a esquadra da PSP, os quartéis da GNR nas Freguesias, a reabilitação do Cine-Teatro Neiva e as Piscinas junto às escolas EB 2,3 do Concelho.”
Fantástico. Ficamos, assim, a saber que o Governo de José Sócrates irá cumprir as promessas que o governo de António Guterres, onde José Sócrates era Ministro, não cumpriu.
Dupont