segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Big Mário

Um dos concorrentes do primeiro Big Brother, Mário Ribeiro, foi detido e aguarda julgamento em prisão preventiva, indiciado da prática de vários crimes, desde falsificação de documentos a roubos.
Há uns tempos, chegava a notícia da tentativa de suicídio do inacreditável Zé Maria e o Marco-dos-pontapés havia deixado a Marta, sua mulher, com suspeitas de maus tratos. Três em doze pode não parecer muita coisa, mas julgo ser um sinal preocupante.
Ainda ontem, o Jornal de Notícias apresentava uma extensa reportagem sobre a loucura das filas de jovens na tentativa de ingressarem na novela “Morangos com Açúcar”. Muitos querem e os pais apoiam. Uma das mães, cuja cria havia sido prejudicada num qualquer formulário, exclamava que tinham “cortado os pés” à miúda… Ao lado disto, ainda há os pais que acham que os seus filhos podem, perfeitamente, comparar-se ao Figo ou ao Agassi-basta que sejam tratados com “igualdade”…
A sensação de que um estatuto de boa vida se pode alcançar sem grande esforço está cada vez mais enraizado na juventude. Todos sonham com profissões como actores ou cantores, onde a visibilidade seja muita, o dinheiro escorra fartamente e o trabalho não seja muito. Uma vida de felicidade portanto.
A vida, como a maior parte das pessoas o sabe, não é fácil e a maior parte das dificuldades não estão apenas no binómio trabalho-salário. A maturidade traz muitos dissabores, especialmente quando se dá o choque com a realidade. Por incrível que pareça, há pais que parecem não se recordar do que passaram ou, então, julgam que proporcionar aos filhos uma vida melhor é torná-los vedetas.
Como provam os exemplos apresentados no início deste post, a que se juntaram outros que, por vergonha ou inteligência, não são revelados, a fama é algo para que nem todos estão preparados. A subida é rápida demais, não dá tempo para racionalizar e, depois, a queda é brutal e, muitas vezes, irreversível. A vontade em permanecer no topo torna-se obsessiva, tornando a vida desta trágicas personagens num verdadeiro inferno. Ah, se alguém as pusesse a ver Gloria Swanson em “Sunset Boulevard”…
Dupont