sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Jorge "vaidoso" Sampaio

Ao longo dos últimos dez anos, por detrás daquele ar formal, sério e comedido, Jorge Sampaio não conseguiu disfarçar a faceta de homem vaidoso e presumido que se pôs muitas vezes em bicos de pés para ser visto e ouvido: “Sampaio fez um balanço extremamente positivo da sua magistratura. As estatísticas no anexo do seu livro, “surpreenderam-no" porque pôde verificar "que teria sido virtualmente impossível" um presidente com "uma presença mais forte, permanente e desenvolvida". O chefe de Estado fortalece-se na solidão, considera Sampaio, fazendo referência a decisões "excepcionais", como a dissolução do Parlamento, por exemplo. "Ao fazer este movimento de fortalecer-me na solidão, verifico que não mudei", afirmou, garantindo "Nunca fui um vendedor de ilusões. Estudei sempre os problemas. Mantive sempre a ligação com as pessoas - e como presidente mantive sempre a ligação com os portugueses”. "Verifico – permitam-me que o diga – que teria sido virtualmente impossível que o vosso Presidente tivesse tido uma presidência mais forte, mais permanente, mais desenvolvida".
Assim me deram por herança meses de vaidade; e noites de trabalho me prepararam. (Jó 7 : 3)

Haddock