sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Pacheco Ferreira

O vice-presidente da Câmara de Vila do Conde deu uma entrevista ao jornal A Voz da Póvoa. Algumas afirmações ali contidas merecem alguma reflexão.
Em primeiro lugar, foi com espanto que se tomou conhecimento, agora, que Pacheco Ferreira foi convidado para o actual cargo três meses antes de comunicar a aceitação. Ou seja, em Julho, quando O Vilacondense anunciava em primeira mão a sua entrada para o Executivo camarário, já ele tinha sido convidado... em Abril. Isto não tem outro interesse senão o de ficar a saber quanto tempo andou o então vice-presidente Abel Maia enganado...
Depois, confessa "sempre tive uma ideologia que se situa na área da social-democracia", uma frase que dispensa comentários...
Em terceiro lugar, Pacheco Ferreira declara: "temos 374 associações e é preciso criar condições para uma menor dependência dos subsídios, organizar os espaços existentes para permitir uma melhor rentabilização". Aqui, as novidades são muitas. Como é sabido, estas associações são uma das principais armas que o Partido Socialista dispõe para a sua manutenção no poder. Com uma média que ultrapassa a dúzia por freguesia do concelho, as associações são pólos de controlo local do poder que sempre foram habilmente controlados pela autarquia, através de uma criteriosa política de subsídios. Pois parece que, agora, tudo vai mudar. Ainda bem. Só falta saber uma coisa: se Pacheco Ferreira se enganou no que disse ou se é uma estratégia para que ele saia queimado de todo este processo, perdendo quaisquer veleidades políticas para daqui a quatro anos. Isto porque uma tal medida de redução de subsídios será extraordinariamente impopular, até porque uma parte esmagadora dessas associações sobrevive, essencialmente, à custa disso.
Finalmente, Pacheco Ferreira admite que "uma representatividade, para todos os efeitos, deverá ser feita a tempo inteiro. Os pelouros que tenho implicam muita disponibilidade. Mas uma coisa é certa, modéstia à parte, sempre tive grande capacidade de trabalho e o problema da representatividade também não é assim tão prioritário quando estamos perante uma equipa extraordinária". Não sei o que é que os outros vereadores pensarão disto...
Dupont