segunda-feira, março 13, 2006

Berlusconi

Sílvio Berlusconi, Primeiro Ministro Italiano e candidato à reeleição em Abril, abandou uma entrevista televisiva a meio, em protesto contra a forma como a mesma estava a ser conduzida pela jornalista Lucia Annunziata.
Admito que Berlusconi seja um político com defeitos. Nesse aspecto não será o único e provavelmente nem sequer o que os terá em maior quantidade. Apesar disso, é um político que merece ser respeitado como tal, não havendo justificação para que qualquer jornalista o force a dizer coisas que ele não quer. Na referida entrevista foi isso que aconteceu, com uma jornalista impertinente e que não cumpria um papel neutro, mas que demonstrou estar ao serviço de outro tipo de motivações.
Por cá também temos jornalistas assim. A este propósito lembro-me sempre de um telejornal da TVI à terça à noite em que Manuela Moura Guedes, no seu diálogo com Miguel Sousa Tavares, quase que exigia que este dissesse coisas que não queria. A coisa ficou de tal forma azeda, que o conhecido portista esteve quase a abandonar a emissão, tal e qual fez Berlusconi.
Apesar de visivelmente irado, Sousa Tavares lá continuou a comentar. Berlusconi, perante uma situação análoga, deixou a jornalista a falar sozinha. A única diferença que vejo nestes dois casos, é que Miguel Sousa Tavares fazia comentários às notícias por contrapartida de um significativo vencimento. Berlusconi dava apenas uma entrevista...
Dupond