sexta-feira, março 03, 2006

Jorge “atraso-de-vida” Sampaio

Ao longo destes 10 anos, ao contrário do que pensa Nicolau Santos e em prejuízo de todos nós, o Presidente da República Portuguesa foi quedo no acompanhamento e vigilância das questões económicas.
Depois da adesão ao Euro, então, tudo piorou. Foram dez anos de queda em todos os indicadores económicos: Estado devedor e incumpridor; aumento do endividamento das famílias; aumento do défice; aumento brutal do desemprego, diminuição da produtividade do trabalho e menor crescimento que os restantes países da EU; maior dependência económica relativamente a Espanha; descalabro da justiça; descrédito da educação, aumento das listas de espera nos hospitais, aumento da corrupção; cada vez mais autarcas acusados, detidos ou em vias de o serem por crimes relacionados com o mau exercício de funções, enfim, a maior crise económica e social do pós 25 de Abril. Mais funda e preocupante que a de 1983/85, esta numa conjuntura completamente diferente, diria até, inevitável no quadro utópico-revolucionário de então.
A acção analgésica de Jorge Sampaio ficou espelhada, recentemente, com o caso Iberdrola: chamou o Ministro da Economia a Belém e mandou dizer ao ex-ministro Pina Moura que não podia ser, que os “portugueses” não aceitavam que a Iberdrola se sentasse no Conselho Superior da EDP. E a questão resolveu-se “à socialista”: a empresa de energia espanhola anunciou que, por agora, renunciava a integrar esta estrutura. Palmas para o Presidente, problema debaixo do tapete e ...“desta já nos safámos”.
Mais recentemente, com o Procurador-geral da República, no caso das disquetes do envelope 9 do processo Casa Pia, deu-nos outro exemplo que é a medida do nosso grau de desenvolvimento sócio-político: exigiu, na TV, que o Procurador-geral da República procedesse a um inquérito urgentíssimo. Quem o ouviu logo pensou que era para um ou dois dias. Já lá vão quase dois meses e… nada. Às tantas, terminará primeiro o Presidente o mandato que o Procurador o seu inquérito urgentíssimo. Seria uma grande bofetada e bem feito para o Presidente de todos os Portugueses. Bem a merecia.
Não tenho a mínima dúvida que Sampaio deixa a Cavaco um país pior, muito pior, que aquele que recebeu de Soares – e isto é o que verdadeiramente lhe dói e que ele tenta esconder a todo o custo dos portugueses. Mas não esconde de todos.

Arquivo presidencial:
- Jorge "incongruente" Sampaio
- Jorge "matreiro" Sampaio
- Jorge “arenga” Sampaio
- Jorge "vaidoso" Sampaio
Haddock