sexta-feira, março 10, 2006

A ler

O "arquétipo político português", do rui, no Blasfémias. Excerto:
(...) "Feitas as contas, isto representa, ao fim de oitenta e oito anos consecutivos da nossa história contemporânea, que Portugal e os portugueses estarão sob a influência política dominante de dois homens [Salazar e Cavaco] durante sessenta anos. Os outros vinte e oito foram repartidos por momentos de transição (Marcello Caetano, o 25 de Abril e o PREC), por Mário Soares, cuja marca histórica que ficará será mais a de um resistente (ao regime de Salazar e de Caetano e ao PREC) do que a de um governante, pelo mito fugaz de Francisco Sá Carneiro, e por um sem número de experiências fracassadas de governação (os governos de iniciativa presidencial de Eanes, Pinto Balsemão, António Guterres, Durão Barroso e Santana Lopes) que não deixarão memória"(...).
Dupont