quinta-feira, março 30, 2006

Os «castrati»

Quem viu o excelente filme de Gérard Corbiau "Farinelli, Il Castrati", de 1994, sabe perfeitamente o que era um "castrati": cantores líricos, que, em criança, sofriam a violência de uma castração (com o instrumento que a imagem mostra...), com o objectivo de atingirem interpretações vocais incomparáveis. É que, assim, nunca atingia a maturidade sexual, pelo que a voz permanecia aguda e não grave, pois a laringe não se desenvolvia. Tudo terá começado com a proibição das mulheres cantarem na igrejas, sendo tal falha compensada com os ditos jovens castrados. Alturas houve em que cerca de 4000 jovens eram castrados com o fim único de obterem fama e riqueza através do seu canto. O mais famoso de todos foi, sem dúvida, o mencionado Farinelli, Carlo Broschi de seu nome.
Vem isto a propósito da exposição "Handel and the Castrati", patente no Handel House Museum, em Londres, até Outubro e onde se procura mostrar o que era a vida destes homens, nos séculos XVII e XVIII, sendo certo que o último dos "castrati" morreu já no século XX. Chamava-se Alessandro Moreschi e foi o único a ter a sua voz gravada para a posteridade. Um excerto da gravação pode ser ouvida aqui.
Como bem refere o artigo da BBC, a violência feita nas crianças era inqualificável, mas tem algum paralelo nos dias de hoje, com a mania das crianças-vedetas. Como sempre, parece que nada aprendemos com o passado...
Dupont