segunda-feira, abril 24, 2006

“We Shall Overcome”, de Bruce Springsteen

É hoje posto à venda "We Shall Overcome: The Seeger Sessions", o novo álbum de Bruce Springsteen. Desta vez, e apesar da escrita prolífica do cantor-compositor, nenhuma das músicas tem a sua assinatura. Como o próprio nome indica e nós já aqui fizemos referência, trata-se de covers da obra do cantor folk Pete Seeger, compagnon de route de lendas como Leadbelly e Woody Guthrie, nos anos 40 e 50 do século passado. Recorde-se que Springsteen já havia patrocinado "Folkways", igualmente um álbum de versões de músicas de Guthrie. Desta vez, o homenageado é Pete Seeger, um autêntico cantor de intervenção, com ligações à esquerda norte-americana. Bruce Springsteen já havia gravado um tema de Pete Seeger, "We Shall Overcome", em 1998, precisamente o que dá nome a este trabalho.
Como qualquer fã que se preze, já conseguimos escutar o disco há alguns dias. É um trabalho esteticamente diferente de quase tudo o que Springsteen já fez ao longo da sua carreira de mais de três décadas. O som é mais cru e as letras chegam a ser mais negras. O ambiente é mais próximo de Bob Dylan, com muito folk à mistura, com uns pozinhos de gospel. No seu todo, é uma obra singular, mas que confirma a queda para a consciência social que o Boss sempre espelhou nos seus trabalhos.
O álbum abre com ‘Old Dan Tucker’, ‘Jesse James’ e ‘Mrs Mcgrath’ três temas no mais puro espírito do melhor folk. Seguem-se dois temas bastante alegres, “Mary Don’t You Weep’ e ‘Jonh Henry’ até chegarmos às brilhantes e melancólicas ‘Jacob’s Ladder’ e ‘Shenandoah’. Destaque, ainda, para ‘Pay Me My Money Down’ e ‘Froggie Went a Courtin’.
Da audição do disco decorre a ideia de que a sua gravação deve ter ocorrido em ambiente de festa. Não só por que algumas composições evocam saloons e ambientes do Velho Oeste, com há uma série de intervenções e comentários que seriam impensáveis num típico disco de estúdio. No entanto, tal como em todos os trabalhos de Springsteen, para desfrutar em pleno de “We Shall Overcome”, há que sentar num sofá e ir acompanhando a audição das canções com a letra das mesmas. Só assim se alcançará uma experiência total, que é precisamente o que este disco merece.
Dupont